Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Recurso de Klishina é aceito e ela será única russa no atletismo

A saltadora de longa distância denunciou o esquema estatal de doping da Rússia e colaborou com as investigações

A saltadora de longa distância russa Darya Klishina irá competir na Olimpíada do Rio de Janeiro, já que sua suspensão foi anulada pela mais alta instância jurídica do esporte às vésperas de sua prova. O atletismo da Rússia sofreu sua humilhação definitiva no Rio no sábado, quando a Associação Internacional de Federações de Atletismo (Iaaf) suspendeu Darya, a única atleta do país que havia sobrevivido à suspensão coletiva por doping da equipe de atletismo, três dias antes de competir.

Mas a Corte Arbitral do Esporte (CAS) informou nesta segunda-feira que aceitou a apelação de Darya contra o banimento. “As partes foram informadas de que o pedido foi aceito e que a atleta continuou apta a competir nos Jogos Olímpicos do Rio”, informou a CAS em um comunicado.

Leia também
O que ver hoje: Zanetti e Flávia Saraiva têm chance de medalhas

Plano russo para fraudar doping tem mais de 30 anos, diz jornal
Rio-2016 tem primeiros casos de doping com chinesa e búlgara

Como Darya ajudou a desvendar o esquema fraudulento, ela havia recebido uma isenção para participar da Rio 2016 como atleta neutra depois que o atletismo foi impedido de atuar no evento devido a revelações sobre o programa de dopagem com patrocínio estatal. Antes dos Jogos, a Iaaf havia determinado que a russa de 25 anos, que mora nos Estados Unidos, não estava envolvida no programa de doping e que foi submetida a exames de drogas suficientes fora da Rússia.

Mas uma fonte disse à agência Reuters que novos indícios de uma investigação da Agência Mundial Antidoping (Wada) conduzida pelo advogado Richard McLaren vieram à tona, o que levou a Iaaf a cancelar sua isenção. Ao anular seu impedimento, a CAS disse que o fato de Darya ter residência permanente nos EUA significa que ela continua a cumprir os critérios de competição da Iaaf “apesar das informações adicionais fornecidas pelo professor McLaren”.

“A atleta demonstrou que foi submetida aos devidos exames de drogas, durante e fora de competições, fora da Rússia”, disse a CAS no comunicado. Há relatos de que Darya foi vista na área de aquecimento do estádio olímpico no domingo, desencadeando especulações sobre sua possibilidade de competir.

(Com agência Reuters)