Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Rússia e Coreia se enfrentam no calor de Cuiabá

Com treinadores experientes e elencos renovados, times estreiam na Copa

Rússia e Coreia do Sul fazem nesta terça-feira, na Arena Pantanal, em Cuiabá, o último jogo da primeira rodada da Copa do Mundo, às 19h (horário de Brasília). Sem atingir grandes resultados há algum tempo, ambas as seleções veem o encontro como fundamental para a classificação no Grupo H, que ainda conta com Bélgica e Argélia. E para chegar às oitavas, russos e sul-coreanos confiam em técnicos experientes, Fabio Capello e Hong Myung-bo, para superar o calor da região centro-oeste do Brasil.

Leia também:

Com gol ‘relâmpago’, EUA vencem Gana em Natal

A Rússia retorna a uma Copa do Mundo após 12 anos de ausência, dirigida pelo treinador italiano. Na segunda-feira, Capello concedeu entrevista coletiva na Arena Pantanal e disse não estar preocupado com a temperatura, que deve passar dos 30 graus nesta tarde. “Lá em Moscou estávamos treinando sob uma temperatura de 32 graus. Isso é excelente, pois na capital do país estava mais quente do que qualquer outro lugar. Treinar com os termômetros elevados nos faz ver que jogar em Cuiabá não vai nos trazer problema algum”, garantiu o italiano de 67 anos – o mais velho entre todos os treinadores do Mundial.

Capello afirmou ainda que seus jogadores estão bem informados sobre o jovem e pouco conhecido time sul-coreano. “Não é importante saber o nome de cada um, mas suas características. Nos preparamos bem e sabemos que estamos prontos”.

Por outro lado, os sul-coreanos disputam a oitava Copa do Mundo consecutiva. Sua melhor participação aconteceu no Mundial jogado em casa, em 2002, quando terminaram na quarta colocação. Na ocasião, o atual técnico Myung-bo era o capitão da equipe, que passou por Espanha e Itália até ser eliminada pela Alemanha nas semifinais. Em Cuiabá, Myung-bo afirmou que aquele Mundial revolucionou o futebol do país e serve de exemplo para os atuais atletas. “Nossos jogadores são muito jovens, mas possuem energia para lutar. Eles serão o futuro do futebol sul-coreano”.

Tanto Rússia quanto Coreia chegam ao Brasil com elencos rejuvenescidos e sem grande experiência internacional. Todos os 23 convocados do time europeu atuam no futebol russo, enquanto seis coreanos jogam por times europeus. O principal destaque dos asiáticos é o atacante Son Heung-Min, jogador de 21 anos do Bayern Leverkusen, da Alemanha. Do lado russo, a força defensiva e a segurança do goleiro Igor Akinfeev podem fazer a diferença.

Bola da VEJA: como VEJA mostra a Copa do Mundo

(Com agência Gazeta Press)