Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Rubinho afirma que merecia um dos títulos de Schumacher

Piloto brasileiro relembrou o GP da Áustria de 2002, em que deixou o alemão passar na reta final, e diz que 99% dos brasileiros fariam o mesmo em seu lugar

O ex-piloto de Fórmula 1 Rubens Barrichello demonstrou certa mágoa ao relembrar o período em que formou dupla com o heptacampeão Michael Schumacher na Ferrari. “Dos sete títulos do Schumacher, pelo menos um deveria ser meu”, afirmou Ruibnho em entrevista ao programa Agora É Tarde, da Band, na madrugada desta sexta-feira. Duas vezes vice-campeão, Rubinho reconheceu que deixou o alemão ultrapassá-lo por diversas vezes e, por isso, mereceria um título no período entre 2000 e 2005.

Ele ainda comentou o controverso GP da Áustria de 2002, em que abriu passagem para Schumacher na reta final a pedido dos chefes da escuderia. “Eu estava decidido a não fazer. Mas as pessoas que dizem que não fariam no meu lugar, não ouviram o que eu ouvi durante oito voltas. Eles disseram que eu devia pensar no que eu estava fazendo e eu comecei a pensar na minha família.”

Leia também:

F1: Schumacher lidera lista dos pilotos mais ricos da história

Rubinho encerra jejum de títulos: é campeão na Stock Car

F1: Hamilton diz que venceria qualquer um com carros iguais

F1: Red Bull pede igualdade e ameaça deixar a categoria

Rubinho explicou que, naquele momento, preferiu não contrariar a Ferrari, pois sonhava com um futuro de títulos na equipe. “Se eu ganhasse aquela corrida, ninguém saberia que aquilo aconteceu e no fim da temporada provavelmente eu teria saído. Não digo que 100% dos brasileiros fariam o mesmo que eu fiz, mas 99% fariam.” Ele, no entanto, afirmou que a situação não mudou nos anos seguintes e que, por isso, decidiu deixar a escuderia italiana em 2005.

Rubinho afirmou que não se importa com as piadas que fazem alusão à sua suposta “lentidão”. “Mas quando falam da minha família, me incomoda.” Ele lembrou a relação próxima com Ayrton Senna e opinou que o tricampeão foi o melhor piloto que já existiu.

Além dos dois vice-campeonatos e de dois terceiros lugares no Mundial de Fórmula 1, Rubinho acumula outros números expressivos. Esteve no grid por 18 anos (entre 1993 e 2011) e é o recordista do número de GPs na história da modalidade – 326 corridas, com 68 pódios (quinto maior de todos os tempos) e 658 pontos conquistados (sétimo maior pontuador).

Rubinho atualmente corre na Stock Car e vem fazendo um bom papel. No ano passado, faturou a cobiçada “Corrida do Milhão” logo em sua primeira vitória na categoria e no final do ano conquistou o título. “Eu estou fazendo o que gosto e tendo o prazer de mostrar ao Brasil que sou um bom corredor.”

(Com Estadão Conteúdo)