Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Rodrigo Pessoa lamenta morte de cavalo Baloubet Du Rouet

"Ele era um pedaço da minha vida", disse o cavaleiro brasileiro. Dupla viveu momentos de glória e decepção em Jogos Olímpicos

Por Da redação Atualizado em 4 set 2017, 11h32 - Publicado em 4 set 2017, 11h31

Doze anos após sua aposentadoria, com todos os cuidados de que precisava, o garanhão Baloubet Du Rouet se ajoelhou e deixou o corpo cair no chão, sem dor e sem sofrimento. É assim que o cavaleiro brasileiro Rodrigo Pessoa descreve a morte do parceiro do título olímpico de 2004, em Atenas, na Grécia. “Ele era um pedaço da minha vida. Logo que ele morreu, eu comecei a me lembrar de todos os momentos que vivemos juntos, os bons e os ruins.” O cavalo morreu no dia 7 de agosto, em Portugal, aos 28 anos.

  • Baloubet Du Rouet era considerado o melhor garanhão de obstáculos do mundo: guiado por Rodrigo Pessoa, foi três vezes campeão mundial e conquistou duas medalhas olímpicas (um ouro e um bronze). Também protagonizou uma decepção: nos Jogos de Sydney, no ano 2000, na Austrália, a dupla acabou sem medalha depois que o animal refugou três vezes. A prova foi transmitida em horário nobre tamanha a confiança na vitória.

    View this post on Instagram

    You arrived as a wild 5 year old kid but you showed a lot of potential on the very first jump. The start was not easy but you were so intelligent that you understood everything very quickly. You grew up to become one of the greatest horses in history. Talent ,beauty, energy, power, skill and elegance made you the best. #legend #worldcupchampion #olympicchampion #brazilianhero #GOAT #nelsonpessoa #joskumps

    A post shared by Rodrigo Pessoa🇧🇷 (@rodrigopessoa29) on

    (com Estadão Conteúdo)

    Continua após a publicidade
    Publicidade