Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Roberto Carlos critica Barcelona e pênalti em dois lances: ‘No Real, seria desrespeito’

No último domingo, Messi optou por não bater o pênalti e apenas rolou para o companheiro Luis Suárez marcar na goleada de 6 a 1 sobre o Celta de Vigo,

Roberto Carlos, ex-lateral da seleção brasileira Roberto Carlos, ex-lateral da seleção brasileira

Roberto Carlos, ex-lateral da seleção brasileira (/)

O ex-lateral da seleção brasileira, Roberto Carlos, retornou ao Real Madrid há algumas semanas para compor a comissão técnica das categorias de base do clube e já cutucou os rivais do Barcelona ao opinar sobre o pênalti indireto que Messi cobrou na goleada dos catalães sobre o Celta de Vigo por 6 a 1.

Em entrevista à rádio espanhola Cadena Ser, o ex-jogador, que defendeu a camisa do Real Madrid entre 1996 e 2007, comentou o caso: “Se alguém do Real cobrasse o pênalti da mesma maneira que Messi cobrou, seria uma falta de respeito”, disse Roberto Carlos, que logo em seguida desabafou. “No Barcelona só se fala de três jogadores, em Madri se fala de um conjunto de jogadores”.

A cobrança de Messi causou grande repercussão na imprensa mundial pelo fato de ele ter rolado a bola para o companheiro Suárez marcar o gol ao invés de bater da forma tradicional. O pênalti foi tratado por alguns torcedores como uma ofensa aos jogadores do Celta de Vigo – a partida já estava 3 a 1 para os catalães.

Johan Cruyff, ex-jogador da seleção holandesa de futebol Johan Cruyff, ex-jogador da seleção holandesa de futebol

Johan Cruyff, ex-jogador da seleção holandesa de futebol (/)

​Cruyff – Também nesta terça, o holandês Johan Cruyff, ídolo do Barcelona e um dos grandes gênios da história do futebol, comentou sobre o assunto. O craque da Copa de 1974 foi o primeiro a popularizar este tipo de cobrança, em uma partida do Ajax, na década de 80. Cruyff não só aprovou a jogada de Messi e Suárez como se disse feliz por ter sido lembrado.

“Me deu muita alegria. Não sei se ele já tinha visto a minha cobrança, mas , se há alguém que poderia fazer isso hoje, este alguém é Messi. Depois vi que falaram muito de mim. É uma alegria que se lembrem de você depois de tantos anos”, disse Cruyff ao jornal El Periodico de Catalunya.

O ex-jogador de 68 anos, que luta contra um câncer, não vê qualquer tipo de falta de respeito na jogada. “Não tem nenhum sentido. Isso é futebol, é algo divertido, diferente. O futebol é diversão, é um jogo”. Por fim, Cruyff disse que, quando realizou a mesma jogada em 1982, surpreendeu até o árbitro. “Ele se aproximou de mim e perguntou: ‘isso é legal?’ É claro que é legal, toquei a bola para frente e o outro jogador estava fora da área.”

Coppens, o pioneiro

Henri Coppens tabelou com André Piters e marcou para a Bélgica contra a Islândia, em 1957, em partida das Eliminatórias para a Copa do ano seguinte (a partir de 1:32 de vídeo).

Cruyff, o gênio

Em 1982, Johan Cruyff, um dos maiores craques da história do futebol mundial, popularizou o pênalti indireto em tabela com Jesper Olsen, em goleada do Ajax sobre o Helmond Sport.

Pires, o trapalhão

Em 2005, dois grandes jogadores franceses do Arsenal mostraram como NÃO cobrar um pênalti em dois lances. Robert Pires tentou rolar para Thierry Henry, mas errou a bola, a defesa do Manchester City afastou o perigo e ninguém no estádio de Highbury entendeu nada. 

Leia também:

​Messi exibe ‘novo integrante da família’

Messi é chamado de ‘baixinho’ por rival e responde: ‘E você é muito ruim’

(Da redação)