Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Rio-2016: onça é morta após desfile da tocha em Manaus

Animal foi abatido depois de fugir de zoológico onde ocorreu o evento

Por Luiz Felipe Castro 21 jun 2016, 12h57

O desfile da tocha olímpica da Rio-2016 por Manaus nesta segunda-feira teve um momento triste: a morte de uma onça pintada, considerada um símbolo dos eventos na capital do Amazonas. Pouco após o desfile, a onça batizada de Juma tentou fugir do Zoológico do Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), onde ocorreu o evento. Seus treinadores aplicaram tranquilizantes, que não surtiram efeito e, então, o animal foi abatido com um tiro por medidas de segurança.

O caminho da chama olímpica, cidade a cidade

No desfile da tocha olímpica, Juma e outra onça, Simba, figuras constantes em eventos na cidade, permaneceram acorrentadas ao lado da chama olímpica. Segundo o coronel Luiz Gustavo Evelyn, chefe da comunicação do Comando Militar da Amazônia, a morte do animal não tem relação com o evento.

“Aconteceu cerca de duas horas depois do desfile. O animal escapou pelo zoológico e, seguindo o procedimento padrão, lhe foi aplicado um tranquilizante, mas o animal continuou sua investida contra um de seus tratadores e tivemos de optar pelo abatimento”, disse.

Coronel Evelyn informou que o tratador não se feriu, pois não teve contato direto com a onça após a fuga. O animal tinha nove anos de idade e, segundo o coronel, era extremamente dócil. Ele relata que Juma nunca havia tido uma reação semelhante.

Homens do exército fizeram homenagens a Juma nas redes sociais. Um cabo postou uma foto com o animal e escreveu: “Vai em paz #juma #saudadeseternas”. Nos comentários da postagem, o cabo diz que “não era para ter feito isso”, diz que Juma “nem era brava” e cita “a porcaria” do desfile da tocha como culpada.

Comunicado – Na tarde desta terça-feira, os organizadores da Rio-2016, em sua página oficial do Facebook, lamentaram o corrido e admitiram a falha que desencadeou na morte do animal: “Erramos ao permitir que a tocha olímpica, símbolo da paz e da união entre os povos, fosse exibida ao lado de um animal selvagem acorrentado. Essa cena contraria nossas crenças e valores. Estamos muito tristes com o desfecho que se deu após a passagem da tocha. Garantimos que não veremos mais situações assim nos Jogos”.

Onça Juma abatida após cerimônia de revezamento da Tocha Olímpica em Manaus
Onça Juma abatida após cerimônia de revezamento da Tocha Olímpica em Manaus VEJA
Continua após a publicidade
Publicidade