Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Ricardinho evita lamentar derrota e espera conversa com Bernardinho

Por Da Redação 21 abr 2012, 14h06

Um dos principais jogadores da Superliga, Ricardinho evitou lamentar a derrota do Vôlei Futuro na decisão diante do Sada Cruzeiro, na tarde deste sábado. Experiente, o jogador ainda admitiu que está empolgado com a possibilidade de disputar os Jogos Olímpicos de Londres e espera conversar com o técnico Bernardinho sobre o assunto.

‘Temos que pensar na próxima. Não tem que ficar choramingando, não. Já ganhei bastante, já perdi bastante. Precisa saber perder e reconhecer que o adversário foi bem melhor no momento decisivo do jogo. Agora, devemos descansar e pensar na próxima temporada’, disse o atleta ao Sportv.

O Vôlei Futuro venceu a primeira parcial em São Bernardo, mas o cubano Camejo não estava em suas melhores condições e o time ainda perdeu Lorena por lesão na panturrilha no terceiro set. O oposto brasileiro chegou a retornar no último período, o que não foi suficiente para evitar a derrota.

‘A gente fez um bom primeiro set, mas depois eles pressionaram no saque, o Lorena saiu e todo mundo viu como estava o ombro do Camejo. Fiquei tentando procurar algum jogador no apoio para tentar enganar, mas estava difícil’, contou o jogador. ‘A equipe do Vôlei Futuro está de parabéns por mais um ano de excelente campanha’, completou.Afastado da Seleção Brasileira desde um desentendimento com o técnico Bernardinho em 2007, Ricardinho admite a possibilidade de retornar ao time nacional e espera ter a chance de conversar com o comandante para tratar do assunto o mais rápido possivel.

‘É uma decisão bem complicada para o Bernardinho, porque já estamos em ano olímpico e falta pouquíssimo tempo. Vamos ver o que ele vai fazer, vamos ver o que a gente vai, se Deus quiser, conversar e decidir. Ele vai ter que tomar uma decisão e a gente vai com certeza conversar sobre isso’, declarou.

A menos de 100 dias dos Jogos de Londres, Ricardinho, campeão em Atenas-2004, não consegue esconder a empolgação. ‘Realmente, esse negócio de Londres e Olimpíada me deixa um pouco empolgado. Vamos ver o que vai acontecer’, encerrou o levantador.

Continua após a publicidade
Publicidade