Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Revezamento do Brasil em Pequim-2008 receberá medalha na próxima quinta

Velocistas herdaram bronze olímpico após a desclassificação da equipe vencedora; atleta jamaicano foi flagrado em exame antidoping apenas no ano passado

Os velocistas brasileiros Bruno Lins, José Carlos Moreira, Sandro Viana e Vicente Lenílson, do time brasileiro de revezamento 4×100 metros rasos que disputou a Olimpíada de Pequim, herdarão a medalha de bronze daquela final, disputada em 2008, devido a desclassificação da equipe jamaicana. O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) anunciou, nesta quarta-feira 23, que os brasileiros receberão a láurea em cerimônia no Museu Olímpico da cidade de Lausanne, na Suíça, no próximo dia 31 de outubro.

O terceiro lugar dos brasileiros foi confirmado no ano passado após a condenação do velocista Nesta Carter, da Jamaica, que testou positivo para o estimulante Dimetilamilamina, presente em suplementos alimentares e descongestionantes. Os jamaicanos tiveram de devolver suas medalhas de ouro, apesar da contestação de Carter, hoje com 34 anos de idade. Ao lado de Usain Bolt, ele conquistou, também, a medalha de ouro nas Olimpíadas de Londres, em 2012, além do ouro no revezamento 4×100 em três edições do Mundial de Atletismo.

A medalha dos velocistas brasileiros aumentará o número de pódios do país em Pequim para 17, mesmo número de medalhas conquistadas pelo atletismo no Brasil na história das Olimpíadas. O bronze dos atletas do revezamento será entregue por Bernard Rajzman, membro do Comitê Olímpico Internacional (COI) e medalhista de prata com a seleção masculina de vôlei nos Jogos de Los Angeles, em 1984.

A cerimônia em Lausanne também premiará com a medalha de ouro a equipe de Trinidad e Tobago, formada por Keston Bledman, Marc Burns, Emmanuel Callender, Richard Thompson e Aaron Armstrong. A prata será herdada pelo time de atletas do Japão, na ocasião formado por Naoki Tsukahara, Shingo Suetsugu, Shinji Takahira e Nobuharu Asahara.