Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Recorde de Sun Yang e o quinto ouro de Ryan Lochte encerram o Mundial de Natação de Xangai

Por Peter Parks 31 jul 2011, 15h18

O chinês Sun Yang, medalha de ouro e novo recordista mundial dos 1.500 metros com o tempo de 14:34.14, e o norte-americano Ryan Lochte, que conseguiu neste domingo sua quinta vitória em Xangai, na prova dos 400 metros medley, foram os protagonistas deste último dia do Mundial de Esportes Aquáticos.

Os Estados Unidos terminaram na liderança do quadro de medalhas geral, com 32 medalhas no total – 17 de ouro-, levando em conta a natação, as águas abertas, os saltos ornamentais, sincronizados e o waterpolo. A China ficou em segundo lugar (36 medalhas, 15 de ouro) e a Rússia em terceiro (18 medalhas, 8 de ouro).

O Brasil acabou em quarto lugar com um balanço de quatro medalhas, todas de ouro, graças a César Cielo (50 metros livre e borboleta), Felipe França (50 metros peito) e Ana Marcela Cunha (25 km em águas abertas).

Levando em conta os ouros de Cielo e França, obtidos nas provas de velocidade em piscina, o Brasil fica como a terceira potência mundial da natação, no quadro de medalhas que se refere apenas a essas competições, e onde os Estados Unidos e a China repetem a primeira e segunda posições.

Para a alegria da torcida local, Sun Yang, de 19 anos, aparece como uma possível estrela do futuro ao derrubar o antigo recorde do australiano Grant Hackett (14:34.56), vigente desde 29 de julho de 2001, estabelecido em Fukuoka, no Japão.

Esta marca e dos 1,5 mil metros feminino eram as únicas individuais que haviam “sobrevivido” à revolução dos maiôs de poliuretano, proibidos em 2010 depois de promoverem uma onda de novos recordes nas piscinas.

Sun Yang somou esta medalha de ouro à outra que ele conquistara durante a semana, na prova dos 800 metros, e a uma de prata recebida pelos 400 metros livres.

O chinês, que havia sido medalha de bronze em Roma-2009 nos 1,5 mil metros, passou os últimos três meses na Austrália treinando com Denis Cotterell, ex-técnico de Hackett, para melhorar seu desempenho.

O trabalho surtiu efeito. Apesar de Sun ter nadado com um atraso de dois segundos em relação ao tempo de Hackett até os 1,4 mil metros, o atleta foi empurrado pelo público de Xangai e acelerou nos últimos 25 metros, vencendo e batendo o recorde. Um cenário perfeito para o encerramento da competição no país.

“Eu não tinha o objetivo de bater o recorde, eu apenas queria ganhar o ouro”, afirmou, surpreso, o “herói’ do dia. “Tenho que agradecer a toda a equipe da China, ao meu técnico, aos meus pais… “Acredito que este recorde é de todos nós”, comemorou.

A China terminou o Mundial na segunda colocação no quadro de medalhas da natação, com um total de 14, sendo cinco de ouro, duas de prata e sete de bronze. O país foi superado apenas pelos Estados Unidos (29 medalhas, 16 delas de ouro) e ficou à frente do Brasil, terceiro lugar, com três medalhas de ouro.

A grande atuação de Sun Yang quase eclipsou o outro protagonista do dia, o norte-americano Ryan Lochte, que nadou com autoridade os 400 metros medley para conquistar seu quinto ouro neste Mundial, o mesmo número de vitórias que seu compatriota Michael Phleps conquistou no Mundial de Roma, há dois anos.

“Não estou realmente satisfeito. Quero dizer que ganhar cinco medalhas obviamente é fantástico, mas sei que posso nadar mais rápido”, observou Lochte, demonstrando um alto nível de exigência.

Ao lado de Sun Yang, Lochte foi o único a bater um recorde no Mundial de Xangai.

Lochte se apresenta como o grande rival de Michael Phelps nas Olímpiadas de Londres, prevendo um emocionante duelo norte-americano pela hegemonia na natação.

O “tubarão de Baltimore”, apesar de não estar na sua melhor forma, conseguiu sete medalhas neste Mundial, sendo quatro de ouro, e disse que buscará maior disciplina nos treinamentos para os Jogos de Londres.

Graças a ele, os Estados Unidos ganharam neste domingo a prova do revezamento 4×100 metros medley, o que deu a Phelps sua 26ª medalha de ouro em um Mundial.

Nas outras finais do domingo, as norte-americanas Elizabeth Beisel (400 metros medley) e Jessica Hardy (50 metros peito), o britânico Liam Tancock (50 metros costas) e a sueca Theresa Alshammar (50 metros livres) também conquistaram medalhas de ouros nas respectivas provas.

Quadro das provas de velocidade em piscina:

MASCULINO:

– 50 m livre:

1. César Cielo (BRA)

2. Luca Dotto (ITA)

3. Alain Bernard (FRA)

– 100 m livre:

1. James Magnussen (AUS)

2. Brent Hayden (CAN)

3. William Meynard (FRA)

– 200 m livre:

1. Ryan Lochte (EUA)

2. Michael Phelps (EUA)

3. Paul Biedermann (ALE)

– 400 m livre:

1. Park Tae-hwan (COR)

2. Sun Yang (CHN)

3. Paul Biedermann (ALE)

– 800 m livre:

1. Yang Sun (CHN)

2. Ryan Cochrane (CAN)

3. Gergo Kis (HUN)

– 1500 m livre:

1. Sun Yang (CHN)

2. Ryan Cochrane (CAN)

3. Gergo Kis (HUN)

– 50 m costas:

1. Liam Tancock (GBR)

2. Camille Lacourt (FRA)

3. Gerhard Zandberg (AFS)

– 100 m costas:

1. Camille Lacourt (FRA)

. Jérémy Stravius (FRA)

3. Ryosuke Irie (JPN)

– 200 m costas:

1. Ryan Lochte (EUA)

2. Ryosuke Irie (JPN)

3. Tyler Clary (EUA)

– 50 m peito:

1. Felipe França (BRA)

2. Fabio Scozzoli (ITA)

3. Cameron Van Der Burgh (RSA)

– 100 m peito:

1. Alexander Dale Oen (NOR)

2. Fabio Scozzoli (ITA)

3. Cameron van der Burgh (RSA)

– 200 m peito:

1. Daniel Gyurta (HUN)

2. Kosuke Kitajima (JPN)

3. Christian vom Lehn (ALE)

– 50 m borboleta:

1. César Cielo (BRA)

2. Matthew Targett (AUS)

3. Geoff Huegill (AUS)

– 100 m borboleta:

1. Michael Phelps (EUA)

2. Konrad Czerniak (POL)

3. Tyler McGill (EUA)

– 200 m borboleta:

1. Michael Phelps (EUA)

2. Takeshi Matsuda (JPN)

3. Peng Wu (CHN)

– 200 m medley:

1. Ryan Lochte (EUA)

2. Michael Phelps (EUA)

3. Laszlo Cseh (HUN)

– 400 m medley:

1. Ryan Lochte (EUA)

2. Tyler Clary (EUA)

3. Yuya Horihata (JPN)

– revezamentos 4×100 m livre:

1. Austrália

2. França

3. Estados Unidos

– revezamentos 4×200 m livre:

1. Estados Unidos

2. França

3. China

– revezamentos 4 x 100 m medley:

1. Estados Unidos

2. Austrália

3. Alemanha

FEMININO:

– 50 m livre:

1. Therese Alshammar (SUE)

2. Ranomi Kromowidjojo (HOL)

3. Marleen Veldhuis (HOL)

– 100 m livre:

1. Jeanette Ottesen (DIN)

. Aliaksandra Herasimenia (BLR)

3. Ranomi Kromowidjojo (HOL)

– 200 m livre

1. Federica Pellegrini (ITA)

2. Kylie Palmer (AUS)

3. Camille Muffat (FRA)

– 400 m livre:

1. Federica Pellegrini (ITA)

2. Rebecca Adlington (GBR)

3. Camille Muffat (FRA)

– 800 m livre:

1. Rebecca Adlington (GBR)

2. Lotte Friis (DIN)

3. Kate Ziegler (EUA)

– 1500 m livre:

1. Lotte Friis (DIN)

2. Kate Ziegler (EUA)

3. Li Xuanxu (CHN)

– 50 m costas:

1. Anastasia Zueva (RUS)

2. Aya Terakawa (JPN)

3. Melissa Franklin (EUA)

– 100 m costas:

1. Zhao Jing (CHN)

2. Anastasia Zueva (RUS)

3. Natalie Coughlin (EUA)

– 200 m costas:

1. Melissa Franklin (EUA)

2. Belinda Hocking (AUS)

3. Sharon van Rouwendaal (HOL)

– 50 m peito:

1. Jessica Hardy (EUA)

2. Yuliya Efimova (RUS)

3. Rebecca Soni (EUA)

– 100 m peito:

1. Rebecca Soni (EUA)

Continua após a publicidade

2. Leisel Jones (AUS)

3. Ji Liping (CHN)

– 200 m peito:

1. Rebecca Soni (EUA)

Continua após a publicidade

2. Yuliya Efimova (RUS)

3. Martha Mccabe (CAN)

– 50 m borboleta:

1. Inge Dekker (HOL)

2. Therese Alshammar (SUE)

3. Mélanie Henique (FRA)

– 100 m borboleta:

1. Dana Vollmer (EUA)

2. Alicia Coutts (AUS)

3. Lu Ying (CHN)

– 200 m borboleta:

1. Jiao Liuyang (CHN)

2. Ellen Gandy (GBR)

3. Liu Zige (CHN)

– 200 m medley:

1. Ye Shiwen (CHN)

2. Alicia Coutts (AUS)

3. Ariana Kukors (EUA)

– 400 m medley:

1. Elizabeth Beisel (EUA)

2. Hannah Miley (GBR)

3. Stephanie Rice (AUS)

– revezamentos 4×100 m livre:

1. Holanda

2. Estados Unidos

3. Alemanha

– revezamentos 4×200 m livre:

1. Estados Unidos

2. Austrália

3. China

– revezamento 4×100 m medley:

1. Estados Unidos

2. China

3. Austrália

SALTOS ORNAMENTAISMASCULINO:

– 1 m:

1. Li Shixin (CHN)

2. He Min (CHN)

3. Pavlo Rozenberg (ALE)

– 3 m:

1. He Chong (CHN)

2. Ilya Zakharov (RUS)

3. Evgeny Kuznetsov (RUS)

– 3 m sincronizado:

1. Qin Kai/Luo Yutong (CHN)

2. Ilya Zakharov/Evgeny Kuznetsov (RUS)

3. Yahel Castillo/Julián Sánchez (MEX)

– 10 m sincronizado:

1. Qiu Bo/Huo Liang (CHN)

2. Patrick Hausding/Sascha Klein (ALE)

3. Oleksandr Gorshkovozov/Oleksandr Bondar (UCR)

– Plataforma a 10 m:

1. Qiu Bo (CHN)

2 David Boudia (USA)

3. Sascha Klein (ALE)

FEMININO:

– 1 m:

1. Shi Tingmao (CHN)

2. Wang Han (CHN)

3. Tania Cagnotto (ITA)

– 3 m:

1. Wu Minxia (CHN)

2. He Zi (CHN)

3. Jennifer Abel (CAN)

– 10 m:

1. Chen Ruolin (CHN)

2. Hu Yadan (CHN)

3. Paola Espinosa (MEX)

– 3 m sincronizado:

1. Wu Minxia/He Zi (CHN)

2. Emilie Heymans/Jennifer Abel (CAN)

3. Anabelle Smith/Sharleen Stratton (AUS)

– 10 m sincronizado:

1. Wang Hao/Chen Ruolin (CHN)

2. Alexandra Croak/Melissa Wu (AUS)

3. Christin Steuer/Nora Subschinski (ALE)

NATAÇÃO SINCRONIZADA- Solo técnico:

1. Natalia Ishchenko (RUS)

2. Huang Xuechen (CHN)

3. Andrea Fuentes (ESP)

– Duo técnico:

1. Natalia Ishchenko/Svetlana Romashina (RUS)

2. Huang Xuechen/Liu Ou (CHN)

3. Ona Carbonell/Andrea Fuentes (ESP)

– Por equipes técnicas:

1. Rússia

2. China

3. Espanha

– Solo livre:

1. Natalia Ishchenko (RUS)

2. Andrea Fuentes (ESP)

3. Sun Wenyan (CHN)

– Combinada livre:

1. Rússia

2. China

3. Canadá

– Por equipes livre:

1. Rússia

2. China

3. Espanha

ÁGUAS ABERTASMASCULINO:

– 5 km:

1. Thomas Lurz (ALE)

2. Spyridon Gianniotis (GRE)

3. Evgeny Drattsev (RUS)

– 10 km:

1. Spyridon Gianniotis (GRE)

2. Thomas Lurz (ALE)

3. Sergey Bolshakov (RUS)

– 25 km:

1. Petar Stoychev (BUL)

2. Vladimir Dyatchin (RUS)

3. Csaba Gercsak (HUN)

FEMININO:

– 5 km:

1. Swann Oberson (SUI)

2. Aurélie Muller (FRA)

3. Ashley Grace Twichell (EUA)

– 10 km:

1. Keri-Anne Payne (GBR)

2. Martina Grimaldi (ITA)

3. Marianna Lymperta (GRE)

– 25 km:

1. Ana Marcela Cunha (BRA)

2. Angela Maurer (ALE)

3. Alice Franco (ITA)

MISTO:

– 5 km por equipes:

1. Estados Unidos

2. Austrália

3. Alemanha

WATERPOLOMASCULINO:

1. Itália

2. Sérvia

3. Croácia

FEMININO:

1. Grécia

2. China

3. Rússia

Continua após a publicidade
Publicidade