Clique e assine a partir de 8,90/mês

Ralf visita idoso atropelado e ajuda em transferência hospitalar

Volante do Corinthians, que se envolveu em acidente na semana passada, se comprometeu a prestar assistência à vítima

Por Estadão Conteúdo - 14 out 2019, 19h53

O volante Ralf retornou aos treinos do Corinthians nesta segunda-feira, 14 e, depois da atividade, fez uma visita ao idoso de 69 anos que foi atropelado pelo carro do jogador na noite da última sexta-feira 11. O jogador bancou a transferência da vítima para um hospital particular.

Um dos familiares do idoso registrou a visita em uma rede social e disse que Ralf está “prestando toda a assistência necessária”. O acidente aconteceu na Rua Marechal Barbacena, na, zona leste de São Paulo, quando o carro em que o jogador estava saiu da pista, bateu em uma parada de ônibus e invadiu uma casa.

De acordo com informações divulgadas pelo Corinthians, um segurança de Ralf dirigia o veículo e perdeu o controle ao ser perseguido por duas motos em uma tentativa de assalto. Por causa do acidente, Ralf não foi relacionado para o clássico contra o São Paulo, disputado no último domingo. O jogador não foi punido pelo clube.

“Não haverá nenhuma punição. Isso acontece. Ele sofreu um acidente e não estava dirigindo. Infelizmente essas coisas acontecem, e ele ficou fora porque acabou não treinando no sábado, teve que depor na delegacia, por isso a gente entendeu que era melhor ele não participar. Eu acho que foi o acidente. Não tem o que falar do Ralf, é um excelente profissional, há anos aqui, conhecemos muito bem e nunca deixou de correr em campo, se doar”, disse o diretor de futebol do Corinthians, Duílio Monteiro Alves.

Boletim de ocorrência

Além de Ralf e do segurança, o pai e um irmão do jogador também estavam no carro no momento do acidente. Nenhum deles sofreu ferimentos de maior gravidade. O texto divulgado pela Secretaria de Segurança Pública aponta que o segurança do atleta corintiano foi o único a ser levado para o 31º Distrito Policial, onde foi constatada a embriaguez do homem que estaria conduzindo o carro, um Hyundai Santa Fe. A polícia diz que não foi possível para as testemunhas definirem quem dirigia o carro.

“O caso foi registrado como atropelamento, lesão corporal culposa na direção de veículo automotor, embriaguez ao volante e fuga do local do acidente, pelo 31º DP e é investigado pelo 30º DP, responsável pela área. Apenas um dos envolvidos no acidente permaneceu no local e realizou o teste do bafômetro que resultou positivo para o consumo de álcool. Diligências estão em andamento visando localizar os demais envolvidos, assim como esclarecer o responsável pelo crime”.

Continua após a publicidade
Publicidade