Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Ralf vê Corinthians consistente atrás e com personalidade na frente

Por Da Redação - 19 jun 2012, 18h28

Defender o tempo todo e segurar o empate ou atacar esporadicamente e também buscar o gol da vitória? Reconhecido como um time defensivamente consistente, o Corinthians terá novo desafio para provar a força de suas linhas de quatro nesta quarta-feira, no Pacaembu, no segundo jogo da semifinal da Copa Libertadores, diante do Santos.

O volante Ralf, principal responsável pela marcação no setor de meio-campo, espera que o Corinthians entre em campo mantendo a consistência defensiva que impediu Neymar de brilhar na Vila Belmiro, mas que também demonstre alguma força no campo de ataque, para facilitar a classificação inédita para a decisão da competição continental.

‘Tem que ter doação de todos, é um esquema de jogo difícil, mas que vale a pena. O importante é estar focado, não quero nem saber: quero não tomar gols e sabendo que nossa equipe é forte, vai fazer. A equipe tem qualidade defensiva e ofensiva. É difícil jogar contra Neymar, que exige muito respeito, mas vamos atrás da vaga’, pontuou Ralf, que teve o discurso seguido pelo companheiro Paulinho.

Homem de ligação da defesa ao ataque e peça importante também nas jogadas de velocidade do Corinthians, Paulinho falou, ao lado do companheiro, sobre a necessidade de vitória: ‘Pensamos em buscar o gol a todo momento, mas a princípio não tomar gol. Todos falam do sistema defensivo da nossa equipe, mas marcação começa lá em cima. Nós fazemos o papel de marcar na ‘hora h’, mas o grupo é confiante

Publicidade

Após a vitória por 1 a 0 na Vila Belmiro, semana passada, o Corinthians chega ao Pacaembu quarta, às 21h50 (de Brasília), consciente de que um empate por 0 a 0 garante a vaga na final, bem como qualquer vitória ou empate com mais gols. Se for derrotado por 1 a 0, disputa a vaga nos pênaltis. Caso o Santos amplie o resultado positivo, o Timão dá adeus à Libertadores dentro de casa.

Publicidade