Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Raikkonen e De la Rosa voltam em 2012; Barrichello e Alguersuari ficam fora

Madri, 15 mar (EFE).- O retorno do finlandês Kimi Raikkonen e do espanhol Pedro de la Rosa, e as saídas do brasileiro Rubens Barrichello, após 19 anos, e do espanhol Jaime Alguersuari, são as principais novidades do Mundial de Fórmula 1 de 2012, que começa neste final de semana.

Após duas temporadas na Williams e de 19 anos na categoria, Rubens Barrichello vai aos Estados Unidos para competir na Fórmula Indy pela mesma equipe do também brasileiro Tony Kanaan, a KV Racing Technology.

Para o lugar de Rubinho, a Williams contratou Bruno Senna, sobrinho do tricampeão Ayrton Senna, que morreu no circuito de Ímola em 1994.

Bruno correu pela Renault na segunda metade de 2011 e, nesta temporada, competirá pela escuderia inglesa, última equipe de seu tio.

Já a Toro Rosso decidiu não renovar em 2012 com Jaime Alguersuari, que ficou sem equipe, e com o suíço Sebastien Buemi, que passou a ser piloto de testes da Red Bull Racing.

Os dois pilotos, que de acordo com a Toro Rosso já não são mais novatos, foram substituídos pelo australiano Daniel Ricciardo, que em 2011 disputou algumas provas pela HRT, e o francês Jean-Éric Vergne, vice-campeão da Fórmula Renault 3.5 no ano passado.

Alguersuari, que seguirá ligado à Fórmula 1 como comentarista da ‘BBC’, descartou a opção de pilotar pela HRT. Já Buemi correrá as 24 Horas de Le Mans com a equipe oficial da Toyota.

Outro que deixa de ser titular é Jérôme d’Ambrosio. O belga saiu da Virgin Racing logo após o GP Brasil do ano passado para ser piloto de testes e reserva na Lotus. Seu substituto na Marussia será o francês Charles Pic, quarto na GP2 em 2011.

A equipe russa também será responsável pelo retorno de uma mulher à Fórmula 1, com a chegada da espanhola María de Villota como piloto reserva da escuderia.

O italiano Vitantonio Liuzzi deixará de ser titular na HRT, mas continuará ligado à equipe.

O atual campeão da GP2, o francês Romain Grosjean, retorna à Fórmula 1 após competir pela Renault em 2009. Sua volta será pela mesma escuderia, que em 2012 passa a se chamar Lotus.

Após um período de dois anos correndo ralis, Kimi Raikkonen, campeão em 2007 na Fórmula 1, retorna como principal trunfo da Lotus, após quase acertar com a Williams.

Em 2012, aos 41 anos, De la Rosa volta a ser piloto titular com a equipe espanhola HRT, que confiou em sua experiência para tentar dar um salto de qualidade.

A última vez que o espanhol correu como piloto principal foi em 2010, pela Sauber, sem ter chegado ao final da temporada com a equipe. Depois, retornou à McLaren para ser reserva.

Seu companheiro de HRT será o indiano Narain Karthikeyan, que já tinha sido descartado pela equipe após o Grande Prêmio da Grã-Bretanha do ano passado e reintegrado para o da Índia. Sua última experiência na Fórmula 1 havia sido em 2005, na Jordan.

Outro retorno é o de Nico Hülkenberg, que correrá pela Force India, onde foi reserva em 2011. O alemão foi titular da Williams em 2010, quando fez a ‘pole position’ no Brasil.

Hülkenberg substituirá seu compatriota Adrian Sutil, que estava há seis anos na Force India.

Adrian Sutil teve as negociações com a Williams rompidas por causa de seu processo penal por ferir no pescoço com uma taça de champanhe o co-proprietário da Lotus, Eric Lux, em uma discoteca de Xangai logo após o GP da China.

O russo Vitaly Petrov perdeu seu lugar na Lotus e, em 2012, correrá pela Caterham no lugar do italiano Jarno Trulli, que estava há dois anos na escuderia, até agora conhecida como Lotus.

A saída de Liuzzi e Trulli significa que a Fórmula 1 ficará sem pilotos italianos em 2012, algo que não acontecia desde o GP da Alemanha de 1973. EFE