Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Racismo faz ex-zagueiro Campbell pedir boicote à Euro

Por AE-AP

Londres – Sol Campbell, ex-zagueiro da seleção inglesa, do Arsenal e do Tottenham, resolveu fazer um alerta ao aderir a uma campanha na qual pede aos seus compatriotas que não viajem para Polônia e Ucrânia para acompanhar a Eurocopa por causa dos recentes casos de racismo e violência ocorridos nos dois países. As duas nações receberão em conjunto a competição continental entre 8 de junho e 1.º de julho.

Negro, Campbell fez o seguinte “pedido” aos ingleses que pretendem viajaram até os países-sede do torneio. “Fique em casa, veja pela TV. Nem se arrisque… porque você pode acabar voltando em um caixão”, disse o ex-jogador, em entrevista à BBC.

Os familiares de dois jogadores negros da seleção inglesa, Theo Walcott e Alex

Oxlade-Chamberlain, já indicaram que é improvável que viagem até as sedes da Eurocopa por temerem atos racistas de torcedores locais.

Depois de presenciar cenas reproduzidas pela BBC durante programa de TV da famosa rede inglesa, nas quais torcedores ucranianos e poloneses fazem saudações nazistas einsultam jogadores negros com barulhos de macacos, Campbell disse que a Uefa, entidade que controla o futebol do Velho Continente, errou ao determinar a Polônia e a Ucrânia como sedes da Eurocopa de 2012.

“Eu acho que eles (dirigentes) fizeram errado. Deviam ter dito que, se quisessem o torneio, teriam de resolver os problemas. Até que víssemos uma melhora grande, vocês nunca teriam a competição. Vocês não merecem um torneio desse prestígio em seu país”, completou.

Imagens de um documentário exibidas pela BBC a Campbell também mostraram um grupo de estudantes asiáticos sendo agredidos no Metalist Stadium, em Kharkiv, na Ucrânia, que será um dos locais que receberão partidas da Eurocopa.

Por meio de um comunicado, a Uefa afirmou que esta edição da principal competição de seleções do futebol europeu “claramente criará uma oportunidade de abordar e confrontar tais questões sociais”.

Campbell, que se aposentou oficialmente no início deste mês, vestiu 73 vezes a camisa da seleção inglesa, sendo que ele estava sem clube desde a temporada passada, quando foi dispensado pelo Newcastle após sofrer uma lesão.