Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Questão sobre fase das seleções de vôlei irrita cartola

Por Amanda Romanelli

São Paulo – O presidente da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), Ary Graça, não gostou de ser questionado sobre o momento delicado das seleções feminina e masculina na Copa do Mundo, torneio classificatório para a Olimpíada. Em um momento atípico do vôlei do Brasil, nenhuma das duas equipes estaria hoje com vaga garantida nos Jogos de Londres.

“Quando eu fui campeão olímpico, tricampeão mundial, vocês (jornalistas) vieram me entrevistar?”, questionou o dirigente, incomodado com a situação, durante a festa de lançamento da Superliga Feminina 2011/2012, nesta terça-feira, em São Paulo. “Vocês foram entrevistar os jogadores, os técnicos. Então, vão lá falar com eles.”

A seleção feminina não conseguiu obter uma das três vagas olímpicas em disputa na Copa do Mundo – terminou em quinto lugar – e terá que jogar o Pré-Olímpico. E a masculina também está passando por dificuldades na competição que acontece no Japão: se terminasse hoje, também não teria conquistado vaga em Londres, pois ocupa a quarta posição.

O momento de baixa das seleções de vôlei foi classificado por Ary Graça como uma “situação inusitada”. Depois, mais calmo, já em outra entrevista, o presidente da CBV deixou claro que, após tantas vitórias seguidas, está mal acostumado. “Nós precisávamos saber que podemos perder. É uma coisa que a gente esqueceu”, admitiu o dirigente.