Clique e assine a partir de 9,90/mês

Quatro curiosidades sobre a nova esperança do tênis brasileiro

O paranaense Thiago Wild é a bola da vez e demonstrou que tem fôlego para ir longe

Por Da Redação - Atualizado em 9 mar 2020, 15h49 - Publicado em 6 mar 2020, 06h00

– Precocidade
Alguns nomes promissores surgiram no tênis do país após a era Guga. O paranaense Thiago Wild é a bola da vez e demonstrou que tem fôlego para ir longe. Ele ganhou destaque ao vencer em 1º de março o ATP 250 de Santiago, no Chile. O atleta, de 19 anos, entrou na competição como convidado e tornou-se o mais jovem brasileiro a conquistar um torneio da ATP, entidade que organiza o circuito profissional da modalidade. O recorde anterior pertencia justamente a Guga, que foi campeão precocemente em um desafio bem mais importante: o Grand Slam de Roland Garros, em 1997, aos 20 anos e 9 meses.

– Rivais
Na campanha de Santiago, Wild eliminou favoritos mais bem ranqueados que ele no circuito da ATP. O brasileiro bateu o chileno Cristian Garin, 18º do mundo. A vitória na decisão foi contra o norueguês Casper Ruud (38º). Com o título, Wild chegou ao 113º lugar no ranking.

– Na quadra
Com um estilo de jogo agressivo, Wild tem no forehand (direita) o principal golpe. A personalidade forte muitas vezes é confundida com arrogância. O tenista brasileiro diz que mistura características de Rafael Nadal, seu grande ídolo, e de Roger Federer. “Consigo jogar bem no fundo da quadra como Nadal e subir na rede para definir o ponto como Federer”, afirma modestamente.

 

– Na vida pessoal
Descendente de alemães (daí o sobrenome Wild), Thiago nasceu na cidade de Marechal Cândido Rondon, no interior do Paraná. Ele namora a blogueira Thayane Lima, de 28 anos, que tem 1,6 milhão de seguidores no Instagram e mais de 2 milhões de inscritos em seu canal no YouTube.

Publicado em VEJA de 11 de março de 2020, edição nº 2677

Continua após a publicidade
Publicidade