Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Quase dois anos sem ‘pole’ é muito tempo para Ferrari’, diz Alonso

Silverstone, 7 jul (EFE).- Após garantir a ‘pole-position’ do Grande Prêmio da Grã-Bretanha nos treinos deste sábado, o piloto espanhol Fernando Alonso declarou que ‘dois anos era muito tempo para a Ferrari ficar sem conseguir a primeira posição do grid’.

Isso porque, a escuderia italiana não conquistava uma ‘pole’ desde o GP de Cingapura de 2010, realizada no final de setembro daquele ano. Na ocasião, o primeiro lugar também foi garantido por Alonso.

‘Estamos contentes com a ‘pole’ depois de quase dois anos. É muito tempo para Ferrari. Com estas condições meteorológicas, essa classificação é uma das menos importantes do ano, já que amanhã tudo estará misturado após poucas voltas. No entanto, é melhor largar na frente por causa da visibilidade e, portanto, estou contente’, comentou Alonso em entrevista coletiva.

Em relação às dificuldades da pista nos treinos deste sábado, que terminou com 1h30min de atraso, Alonso comentou que o mais complicado de andar ‘no molhado é que nunca se sabe, já que deve estar no tempo e no lugar certo quando fechar a volta’.

Nesse sentido, o piloto espanhol comentou que ‘a volta tem que ser limpa, sem grandes erros e, por isso, pode ser surpreendente se encontrar na pole’.

Alonso comentou que a paralisação da Q2 era esperada, já que, como afirmou, ‘era impossível correr naquele momento’. ‘A bandeira vermelha foi uma boa decisão, tínhamos que esperar realmente o momento em que o circuito estivesse em condições para rodar’, completou Alonso.

O bicampeão de Fórmula 1, que poderia ter sua melhor volta suspensa no Q2 por conta de uma bandeira amarela, ainda fez questão de elogiar os comissários da prova. ‘Às vezes, criticamos as decisões quando não estamos contentes com elas. Mas, hoje, eles realizaram um bom trabalho, já que a prioridade era a segurança de todos’.

Durante a entrevista, Fernando Alonso ainda dedicou a ‘pole’ à piloto espanhola María de Villota, da Marusia, que perdeu o olho direito após um acidente no aeroporto de Duxford, onde sua equipe realizava alguns testes. Neste momento, María segue internada em um hospital britânico.

‘Quero dedicar essa ‘pole’ a María de Villota, que está se recuperando. Muitas forças!’, comentou Alonso, que também manifestou seu apoio através das redes sociais. EFE