Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Quadro de Ricardo Gomes segue grave, mas estável

Treinador sofreu um AVC na tarde de domingo e precisou passar por uma cirurgia. Não houve complicações durante a madrugada, diz hospital

Por Da Redação 29 ago 2011, 11h04

O quadro de saúde de Ricardo Gomes, técnico do Vasco, permanece grave, porém estável, nesta segunda-feira. Gomes foi submetido no final da noite de domingo a uma cirurgia para reduzir a pressão intracraniana provocada pelo acidente vascular cerebral (AVC) hemorrágico sofrido durante o confronto Vasco e Flamengo, válido pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro. O treinador será reavaliado por uma junta médica nesta manhã. De acordo com informações do hospital, não houve qualquer intercorrência durante a madrugada. A tomografia realizada após a operação mostra que o hematoma foi totalmente removido e a pressão intracraniana está sob controle.

Gomes está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Pasteur, na Zona Norte do Rio de Janeiro, e segue em coma induzido. Ele respira com o auxílio de aparelhos. “O coágulo foi drenado. O quadro é favorável e as próximas 72 horas serão decisivas para avaliar e consolidar a situação. Isso quer dizer se provavelmente haverá sequelas ou não”, declarou Clóvis Munhoz, médico do Vasco que acompanha o caso. Segundo disseram os médicos, após a reavaliação desta segunda, pela manhã, o pós-cirúrgico do paciente está evoluindo bem, sem apresentar intercorrências. No momento, não há previsão de novos procedimentos.

Ricardo Gomes começou a passar mal a cerca de 20 minutos do segundo tempo do clássico carioca, no Engenhão. Ele se sentou no banco de reservas e levou a mão à boca. O médico da seleção e do Flamengo, José Luiz Runco, também auxiliou no atendimento inicial. Em fevereiro do ano passado, quando dirigia o São Paulo, Gomes sofreu um princípio de AVC. Antes da divulgação do diagnóstico, o médico vascaíno Clovis Munhoz disse que o novo problema não tem relação com o antigo susto, que teria sido apenas uma forte dor de cabeça.

Para o médico do Vasco, Alexandre Campello, o atual problema de saúde do técnico tem relação com aquele que o técnico teve quando ainda treinava o São Paulo, em 2010. ‘Certamente sim [tem relação]. Ele teve uma isquemia transitória, e isso acontece por pico hipertensivo. Talvez ele tem uma pressão arterial mal controlada”, disse o médico, em entrevista para o SporTV. Ainda segundo Campello, Ricardo Gomes tomava medicamentos para controlar o problema, mas de forma irregular.

No domingo, após o treinador ser levado de ambulância do Engenhão, onde o Vasco enfrentava o Flamengo, Clovis Munhoz, outro médico cruz-maltino, tratou de evitar relações, e considerou que o pequeno AVC que o técnico teve no tricolor paulista não tinha nada a ver com o atual. Apesar de o estado do comandante cruz-maltino ser grave, Campello se animou com a diminuição do hematoma após a cirurgia na noite de domingo.

Em contato telefônico com a Gazeta Esportiva, o doutor Marco Aurélio Cunha, que trabalhou com Ricardo Gomes no São Paulo e é amigo do treinador, afirmou não ter conhecimento de outros problemas de saúde relacionados à situação que o comandante viveu no Tricolor. “O Ricardo sempre teve contato comigo, falei com ele quinta e sexta, por telefone. Depois de diagnosticado e fazer o tratamento [no São Paulo], ele passou a levar uma vida normal, como qualquer paciente que tem um problema e se trata. Não sei se o nível de pressão arterial teve alguma alteração, pois ele não estava aqui conosco”, afirmou.

“O tratamento foi feito e ele retomou sua vida normalmente. Se ele tivesse tido alguma queixa, o que acho que ele não teve, ele deveria procurar tratamento, mas não soube de algum outro problema”, completou Marco Aurélio. Após a cirurgia, Campello evita falar sobre possíveis sequelas no comandante cruz-maltino. Segundo ele, por Ricardo estar sedado, não é possível saber se o comandante teve sua fala ou motricidade prejudicadas. Em 72 horas, quando a sedação deverá ser diminuída, ele será avaliado.

(Com agência Gazeta Press)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)