Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Pressionada, liga inglesa congela preço de ingressos

Protestos nas arquibancadas surtiram efeito e clubes não poderão cobrar mais que 30 libras (160 reais) de torcedores visitantes

A voz das arquibancadas prevaleceu. Diante de seguidos protestos de torcedores, os clubes que disputam o Campeonato Inglês chegaram a um acordo nesta quarta-feira e decidiram “congelar” os preços dos ingressos destinados às torcidas visitantes em até 30 libras (aproximadamente 160 reais) pelas próximas três temporadas.

A decisão unânime foi tomada em uma reunião especialmente convocada para debater a confusão sobre os preços considerados abusivos por muitos torcedores. Clubes como o Arsenal chegaram a cobrar 60 libras (cerca de 315 reais) dos visitantes nas últimas temporadas.

Leia também:

Enfim, Globo exibe protestos de corintianos contra a emissora

Na contramão da Europa, Brasil proíbe protestos – legítimos – nas arquibancadas

Liverpool cede a protestos da torcida e desiste de aumentar preço de ingressos

Recentemente, fãs do Liverpool abandonaram uma partida em Anfield, em protesto contra o aumento do valor dos ingressos. Diante dos protestos e da repercussão negativa em todo o país, o clube decidiu anular o aumento.

A Federação de Torcedores de Futebol da Inglaterra também realizou campanha para a redução do valor dos ingressos para os visitantes e defendia um preço menor do que o que foi decidido: 20 libras (107 reais).

Em comunicado oficial divulgado nesta quarta, os clubes observaram que os torcedores visitantes “são essenciais para o ambiente do jogo e estimulam a resposta dos torcedores de casa, o que distingue o Campeonato Inglês das outras ligas”. Além disso, lembrou que os fãs possuem outras despesas, como com as viagens para os jogos.

O Campeonato Inglês registra uma taxa de 96,2% da ocupação dos estádios nesta temporada, apesar das reclamações. No Brasil, onde quase todos os estádios estão às moscas, especialmente durante os Estaduais, poucas torcidas têm, efetivamente, organizado protestos contra o preço dos ingressos.

(da redação)