Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Preso em Bangu, CEO da Match pretendia ir à final da Copa

No quarto de Raymond Whelan, foram encontrados ingressos para a partida

Mesmo após ser preso pela primeira vez, o CEO da Match, Raymond Whelan, pretendia assistir à final da Copa do Mundo no Maracanã. Alto executivo da empresa que negocia as entradas VIP da competição para a Fifa, ele esperava poder acompanhar o jogo entre Alemanha e Argentina em um camarote ou, no mínimo, na arquibancada. Whelan passou quatro dias foragido, não foi visto no Maracanã e se entregou na última segunda-feira, um dia após a final. Ele segue detido no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, no Rio de Janeiro.

Leia também:

Máfia dos ingressos: TJ nega liberdade a executivo inglês

Fifa: cada vez mais enrolada

Suspeito de chefiar máfia dos ingressos no Rio tem prisão decretada e foge

Para empresa ligada à Fifa, diretor não cometeu crime

Diretor da Match vai devolver credencial à Fifa

Polícia indicia onze envolvidos na máfia dos ingressos

Diretor da Match sabia que negociava com cambista, afirma delegado

No quarto de Whelan, no Hotel Copacabana Palace, policiais encontraram dois ingressos em seu nome para a final.”Ray Whelan, Fifa” lê-se nas entradas, ambas de categoria 2, cada uma no valor de 1.320,00 reais. No quarto do Copacabana Palace, deixado às pressas com TV e ar-condicionado ligados, além de malas abertas no chão, os policiais da 18ª DP (Praça da Bandeira) encontraram também ingressos em nome da sua esposa, Ivy Byrom, e de seus filhos, Paul e Hellen. Todos, como Raymond Whelan, são funcionários da Match.

Desde o início do escândalo da máfia dos ingressos, Fifa e Match têm insistido em dizer que tratam-se de entidades diferentes. No entanto, executivos da empresa Match fecharam negócios milionários nos últimos anos, no Brasil, apresentando-se como representantes do organismo que controla o futebol mundial.

Explicações – Em nota, a Match explicou que o regulamento da Fifa permite a compra de até dois ingressos para a final, e que “quando o requerente principal não tem certeza de seu convidado, o nome dele é impresso nos bilhetes”. Segundo a empresa, a quantidade de ingressos impressos para a família de Whelan também é “usual”. “Ivy Byrom, Ray Whelan, Paul Whelan e Helen Whelan trabalharam para a Match e todos fizeram solicitações de ingressos”, informou a companhia.

(Com Estadão Conteúdo)