Clique e assine a partir de 9,90/mês

Presidente do Barça antecipa eleição para aliviar crise

Diante de maus resultados, acusações da Fifa e confusões com Messi, Josep Maria Bartomeu pede que sócios definam futuro do clube catalão

Por Da Redação - 7 jan 2015, 15h40
Josep Maria Bartomeu, presidente do Barcelona, com o treinador Luis Enrique
Josep Maria Bartomeu, presidente do Barcelona, com o treinador Luis Enrique VEJA

O presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, anunciou nesta quarta-feira a convocação de eleição para o fim da atual temporada, para aliviar a crise que tomou conta do clube nos últimos meses. “Queremos diminuir a tensão que o clube vem sofrendo”, disse o dirigente no Camp Nou. O mandato da atual junta diretiva termina em 2016, mas os últimos acontecimentos fizeram com que Bartomeu antecipasse a eleição, na qual será novamente candidato.

Leia também:

Neymar separou briga entre Messi e técnico, diz jornal

Messi, um gênio mimado

Continua após a publicidade

Em crise no Barcelona, Messi começa a seguir o Chelsea no Instagram​

Crise no Barcelona? Messi não treina e diretor é demitido

Bartomeu comunicou que, em junho, deve convocar os sócios do clube para um pleito extraordinário para definir a continuidade da atual diretoria. O clube, acostumado a conquistas na última década, vem de uma temporada bastante negativa. O Barcelona terminou 2014 sem nenhum grande título e ainda foi punido duramente pela Fifa – não poderá contratar reforços até 2016, por causa de irregularidades cometidas na contratação de jogadores menores de idade. Por isso, ele disse que suspenderá as relações institucionais com a Fifa enquanto durar a punição e enviará uma carta ao presidente Joseph Blatter. Além disso, confirmou que não vai à cerimônia da Bola de Ouro, na segunda-feira, em Zurique, mesmo com Messi brigando para ser o vencedor pela quinta vez.

Para piorar a situação, nesta semana, Bartomeu demitiu o diretor de futebol Andoni Zubizarreta, criticado pela política de contratações. Seu auxiliar, o ex-zagueiro e capitão Carles Puyol, renunciou em solidariedade a Zubizarreta. Antes, Lionel Messi e o técnico Luis Enrique se desentenderam e causaram rumores de uma possível saída do argentino. Apesar de todos os acontecimentos, Bartomeu acredita que não há motivo para tanta cobrança. “Esta tensão é desproporcional e não se ajusta à realidade. Ao meu ver o clube funciona bem, e economicamente, as coisas também estão boas.”

Continua após a publicidade

Ele ainda disse que conversou pessoalmente com Messi e Luis Enrique e disse que ambos estão satisfeitos e tranquilos para a sequência do trabalho. Bartomeu assumiu a presidência em janeiro de 2014, após a renúncia de Sandro Rosell, envolvido em comissões pagas pelo clube na contratação de Neymar.

Lionel Messi ficou no banco do Barcelona na derrota por 1 a 0 para a Real Sociedad
Lionel Messi ficou no banco do Barcelona na derrota por 1 a 0 para a Real Sociedad VEJA

Conflito – A crise no Camp Nou chegou a seu ápice nesta semana, quando o campo de jogo foi afetado. Na sexta-feira, Messi discutiu com Luis Enrique e teve de ser contido por Neymar. No domingo, o treinador deixou os dois no banco de reservas, na derrota para a Real Sociedad. Na segunda-feira, o caos: Messi faltou a um treino festivo, alegando uma crise de gastroenterite.

De acordo com o jornal Sport, Luis Enrique não acreditou na desculpa e tinha intenção de punir o argentino. No mesmo dia, Messi começou a seguir o perfil do Chelsea no Instagram, aumentando ainda mais os rumores de uma possível transferência para o clube inglês, declaradamente disposto a tirá-lo do Barcelona.

Nesta quarta, Luis Enrique também deu entrevista e, diante da insistência dos jornalistas, não negou que tenha se desentendido com Messi. “Há coisas que ficam no vestiário. Não vou comentar. Não confirmo, nem desminto.” E admitiu que Messi e outras estrelas têm privilégios na equipe, o que considera normal no futebol. “Não trato todos os jogadores da mesma maneira, como não trato meus filhos da mesma maneira. Seria um erro. Mas há condutas mínimas de comportamento, que devem ser cumpridas.”

Continua após a publicidade

O treinador ainda afirmou que não sofreu nenhum tipo de pressão com a diretoria e que o ambiente no vestiário segue como sempre foi. “Fui contratado para fazer as coisas da forma que acho corretas. Tenho o apoio da diretoria e dos jogadores.”

Messi, jogador do Barcelona, durante partida entre Real Zaragoza e Barcelona, em 2006
Messi, jogador do Barcelona, durante partida entre Real Zaragoza e Barcelona, em 2006 VEJA

Messi cumprimenta Guardiola na despedida do treinador
Messi cumprimenta Guardiola na despedida do treinador VEJA

Lionel Messi e Zlatan Ibrahimovic em treino do Barcelona em 2010
Lionel Messi e Zlatan Ibrahimovic em treino do Barcelona em 2010 VEJA

Lionel Messi ficou no banco do Barcelona na derrota por 1 a 0 para a Real Sociedad
Lionel Messi ficou no banco do Barcelona na derrota por 1 a 0 para a Real Sociedad VEJA

Messi no empate entre Barcelona e Levante, em Valência
Messi no empate entre Barcelona e Levante, em Valência VEJA

http://www.youtube.com/embed/z8ovGQxV9As?rel=0
2014: sem paciência para crianças

Na condição de um dos maiores da história, Messi está acostumado a conceder autógrafos e tirar fotos por qualquer lugar que passe. No entanto, nem sempre o craque está disposto a ser simpático – ou ao menos não está sempre atento. Durante a Copa do Mundo no Brasil, uma imagem de Messi ignorando uma criança que lhe estendeu a mão no Maracanã foi bastante comentada. Ele se defendeu, dizendo que não notou a aproximação do garoto. Atitudes semelhantes já foram flagradas em partidas na Espanha. 

Messi passou a seguir o Chelsea no Instagram justamente no dia em que a crise estourou no Barcelona
Messi passou a seguir o Chelsea no Instagram justamente no dia em que a crise estourou no Barcelona VEJA

(Com agências France-Presse e Gazeta Press)

Publicidade