Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Presidente da Ferrari alerta Massa sobre necessidade de ir bem em 2012

Redação Central, 18 dez (EFE).- O presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo, fez neste domingo um balanço sobre a temporada realizada pela Ferrari, projetou 2012 e alertou o piloto brasileiro Felipe Massa, que estará em seu último ano de contrato, sobre a importância de um bom desempenho no próximo Mundial de Fórmula 1.

‘Felipe sabe que o ano que vem é muito importante para ele, mas depende de nós dar-lhe um carro competitivo. Se conseguirmos, tenho certeza que redescubriremo um Felipe que pode ser mais veloz que Michael (Schumacher) e Kimi (Raikkonen)’, declarou Montezemolo na sede da Ferrari, em Maranello (Itália).

O presidente da escuderia ainda rasgou elogios ao espanhol Ferlando Alonso, que marcou 257 pontos no Mundial deste ano, 139 a mais que Massa, e terminou a temporada em quarto lugar.

‘Fernando fez uma temporada assombrosa, inclusive sem dispor de um carro competitivo. E nos fez muito felizes em Silverstone, com uma emblemática vitória, no mesmo circuito em que há 60 anos a Ferrari alcançou sua primeira vitória’, lembrou.

Ao fazer um balanço do ano de 2011, o presidente de Ferrari reconheceu que a equipe não esteve bem.

‘Não podemos estar contentes com este ano. Temos um grande desejo de nos redimirnos porque os resultados não vêm sozinhos, a cegonha não os traz. Isso requer um trabalho duro de todos. Por trás de um produto assombroso há homens e mulheres assombrosos’, declarou Montezemolo, que se mostrou esperançoso ao falar da próxima temporada.

‘Quero ser otimista porque venho acompanhando a concentração e a atenção aos detalhes de (Stefano) Domenicali (chefe da equipe) e seus funcionários. O trabalho está centrado em todas as áreas para melhorar, desde o desenho do novo carro até o trabalho no simulador; desde a preparação das paradas nos boxes até as largadas’, disse Montezemolo, que encerrou destacando a capacidade dos pilotos.

‘O que eu gosto em nossos pilotos é a capacidade deles para trabalhar em equipe. Já conhecia de Felipe, mas foi uma surpresa agradável perceber isso em Fernando. Não gosto de pilotos que chegam ao circuito com uma mala e não compartilham a vida diária com a equipe’, sublinhou. EFE