Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Presidente admite atraso de salários, mas nega crise no Atlético

Alexandre Kalil afirmou que problema financeiro foi causado pelo bloqueio de parte do dinheiro da venda de Bernard por dívidas com a Receita

Por Da Redação - 8 jan 2014, 16h12

O presidente do Atlético Mineiro, Alexandre Kalil, divulgou nesta quarta-feira uma nota admitindo atraso nos salários dos jogadores, mas garantiu que o problema não causou uma crise na equipe. Apesar das dívidas com os atletas, o cartola afirmou que falta pouco para cumprir as obrigações. “95% dos funcionários do clube já receberam os salários de dezembro, além do décimo terceiro.”

Leia também:

Publicidade

Ronaldinho só deve renovar com o Atlético-MG em janeiro

Atlético, só bronze, tem desembarque melancólico em BH

Publicidade

Cartola diz que Ronaldinho fica e craque escala seu irmão

Atlético cumpre obrigação, vence Guangzhou e termina Mundial de Clubes em 3º lugar

Kalil disse que os problemas financeiros da equipe foram causados pela retenção na Justiça de parte do dinheiro da venda de Bernard para o time ucraniano Shakhtar Donetsk. Em agosto, o jogador foi comprado por 25 milhões de euros (cerca de 80,8 milhões de reais) e mais da metade do dinheiro foi bloqueado por causa de dívidas que o clube tinha com a Receita Federal. “Desde o final de 2013, estamos apelando à presidente Dilma Rousseff e ao PT para que nos ajudem a resolver este impasse.”

Leia também:

Publicidade

Paulo Autuori vai substituir Cuca no Atlético-MG em 2014

Fiasco mancha 2013 mágico do Atlético – e fecha ano terrível para clubes brasileiros

Cartola do Atlético nega vexame, mas alfineta Ronaldinho

No Horto, festa atleticana termina em lágrimas e desespero

Publicidade

O Atlético vai defender o título da Libertadores este ano, ainda não anunciou reforços. Além disso, Ronaldinho Gaúcho está sem contrato e interessa ao Besiktas, da Turquia.

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade