Clique e assine a partir de 9,90/mês

Prefeito do Rio promete legado maior que o de Barcelona e sem elefante branco

Por Luiz Felipe Castro - 4 ago 2014, 19h39

O Comitê Olímpico Brasileiro e a prefeitura do Rio de Janeiro iniciaram nesta segunda-feira uma série de eventos preparativos para os Jogos Olímpicos do Rio-2016, que terão início daqui a dois anos. O presidente do COB, Carlos Artur Nuzman, e o prefeito Eduardo Paes estiveram com outras autoridades na sede do Comitê Organizador e falaram sobre os avanços nas obras em tom otimista. “Estes são os Jogos da economia de recursos públicos e do recorde de recursos privados. Temos compromissos com prazos e teremos o maior legado da história das Olimpíadas, sem nenhum elefante branco”, afirmou Paes.

Leia também:

Comitê Rio 2016 diz ter vendido R$ 2,4 bi em patrocínios

Regata dirá se Rio conseguiu isolar veleiros da poluição

Tóquio quer mudar sedes de eventos de 2020 para reduzir custos

Gasto da Olimpíada no Rio passa a R$ 37,6 bi com novas obras

O prefeito ainda anunciou novo projeto, Cariocas Olímpicos, para subsidiar 1,2 milhão de ingressos a estudantes do ensino público. “Destinaremos estes ingressos às áreas mais carentes. Queremos que estas crianças possam ir a pelo menos um evento da Olimpíada ou da Paraolimpíada.” De acordo com o COB, serão postos à venda cerca de 8 milhões de ingressos no total, o que possibilitará que os 600.000 estudantes da rede pública tenham acesso a uma parcela de ingressos com desconto. “Na Olimpíada, como há várias modalidades, queremos que todas as classes sociais aproveitem e curtam os Jogos.” Paes disse que só dará detalhes do programa no primeiro semestre do ano que vem.

Continua após a publicidade

O prefeito do Rio dise ainda que a olimpíada brasileira vai superar os jogos de Barcelona, em 1992, apontado como exemplo a ser seguido em relação a legado. “No nosso caso, não será feita só uma recuperação no centro da cidade, mas uma revitalização da cidade como um todo.” O governador do estado, Luiz Fernando Pezão, disse que a aceleração das obras foi uma “vitória sobre a burocracia brasileira”. Ele ainda colocou como principal meta de seu governo a despoluição da Baía de Guanabara, onde serão realizadas as provas de vela. “Investimos 2,2 bilhões de reais e já chegamos a 50% de despoluição. Nossa meta é chegar próximo de 80% até 2016.” O secretário-executivo do Ministério do Esporte, Luiz Fernandes, citou avanços no Complexo de Deodoro, no laboratório antidopagem e no centro de judô Lauro de Freitas como as noticias mais animadoras dos últimos meses.

Leia também:

COB quer Brasil entre os dez melhores nos Jogos do Rio

‘Brasil dará prioridade absoluta à Olimpíada’, afirma COI

Rio inicia obras ‘simples’ em Deodoro por R$ 643 milhões

Até o momento, 15 das 52 obras da Matriz de Responsabilidades não tiveram seus projetos e orçamentos entregues. De acordo com Paes, no entanto, está tudo dentro do planejado. “Todas as obras mais complexas e de longa duração já foram apresentadas na Matriz. Os orçamentos das obras mais simples só serão divulgadas no momento oportuno.” Ele usou o estádio Olímpico João Havelange, onde acontecerão as provas de atletismo, como exemplo. “Vamos arrumar a pista, instalar 15.000 cadeiras provisórias e arrumar a iluminação. Essas adaptações só serão feitas em 2016, pois não há necessidade de pagar dois anos de aluguel se só usaremos por três meses. Tudo que demanda mais tempo já está sendo feito, não há nada atrasado. Aprendemos com os erros. Na Copa, foram dadas previsões de forma prematura, sem base técnica alguma. Depois, quando os orçamentos foram apresentados de forma oficial, a imprensa falou em superfaturamento. Desta vez, só divulgaremos valores quando houver maturidade para isso.” Ele disse ainda que espera receber milhares de sul-americanos na Olimpíada. “Não queremos que o povo carioca fuja do Rio durante os Jogos.”

Paes se irritou ao negar que as reformas do BRT, sistema de transporte rápido de ônibus, atendem a interesses imobiliários. “Quem diz isso desconhece completamente a geografia do Rio. Das áreas por onde passa o BRT, apenas a barra da Tijuca pode ser considerada nobre.” E falou estar preparado par aocbranças. “Todos estamos atentos. Sabemos que todas as cobranças e pressões valem a pena para organizar uma Olimpíada. Estamos tranquilos, mas vigilantes.”

Calendário – Pela manhã, o Comitê Organizador do Rio 2016 anunciou que serão realizados 45 eventos-teste na cidade até 2016. O primeiro deles, a Regata Internacional de Vela, teve início neste domingo na Baía de Guanabara e vai até o próximo fim de semana. A previsão é que 22 dessas competições aconteçam em 2015.

Continua após a publicidade
Publicidade