Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Precisamos melhorar em todos os níveis’, diz técnico da França

Didier Deschamps não apontou favoritos para o clássico no Maracanã

O técnico da França, Didier Deschamps, concedeu entrevista no Maracanã nesta quinta-feira e reconheceu que a sua equipe apresentou nível abaixo do esperado nas oitavas de final contra a Nigéria. Por isso, Deschamps cobrou reação de seus atletas para o clássico desta sexta-feira, às 13h, contra a Alemanha. “Precisamos melhorar em todos os níveis, mas não há razão para estarmos tensos. Vamos enfrentar um rival sólido e experiente, não há motivo para tensão. Os jogadores não estão sob pressão.”

Leia também:

Gripe assusta a Alemanha na véspera de enfrentar a França

Fim das oitavas tem drama, recordes e líderes classificados

Seleção das oitavas: seis europeus, cinco sul-americanos

Nas oitavas, favoritos sofrem diante de rivais ousados

Deschamps apontou semelhanças entre as duas equipes. “O esquema tático de França e Alemanha é o mesmo, mas cada seleção tem jogadores com características diferentes. O perfil dos jogadores faz com que a movimentação defensiva e ofensiva de cada equipe seja um pouco diferente.”

O goleiro e capitão da França, Hugo Lloris, garantiu não dar importância à rivalidade entre os dois países. “Houve confrontos históricos, mas temos de escrever a nossa própria história.” Para Lloris, a França não vai se intimidar diante do ataque alemão. “Estamos diante de um adversário muito forte. Os alemães estão entre os favoritos e têm muita experiência. Eles podem atacar, mas temos nossas qualidades.”

Deschamps não adiantou a escalação, mas deve abandonar o esquema com dois centroavantes. Assim, Olivier Giroud deve ceder lugar para Antoine Griezmann. Desta forma, a equipe jogaria com dois pontas (Griezmann pela esquerda e Valbuena pela direita) e Karim Benzema centralizado. Foi assim que o time marcou dois gols em 12 minutos contra a Nigéria.

Siga no Instagram: uma seleção de fotos exclusivas em @vejanoinsta

(Com Estadão Conteúdo)