Clique e assine a partir de 9,90/mês

Poupada, Érika vira torcedora e vê Tarallo mais exigente que Vecchi

Por Da Redação - 2 jun 2012, 00h27

Poupada, Érika viu das arquibancadas o tranquilo triunfo do Brasil sobre o Chile na noite desta sexta-feira, em Osasco-SP. Ela elogiou as companheiras pela vitória por 101 a 31 e sentiu o técnico Luiz Cláudio Tarallo mais exigente em relação ao antecessor Ênio Vecchi.

‘No primeiro quarto, as meninas entraram um pouco nervosas por conta de o jogo ser aqui e ter toda a torcida nos apoiando, mas isso é normal. Foi apenas o primeiro jogo e ainda temos muito o que melhorar’, declarou a jogadora em meio às dezenas de crianças que invadiram a quadra em busca de autógrafos assim que a partida terminou.

Apesar da clara fragilidade do time chileno, o Brasil chegou a perder o primeiro quarto por 17 a 16, mas tomou o controle da partida a partir da segunda parcial e construiu uma vantagem confortável sem sobressaltos. Érika reconheceu a gritante inferioridade do adversário, porém valorizou a partida.

‘Infelizmente, o Chile não é uma equipe muito forte, mas deu para treinar. Nosso grupo ainda está com 18 jogadoras. Depois dos cortes, vamos ficar somente com as 12 que vão para as Olimpíadas e a preparação vai melhorar. Ainda temos muito tempo de trabalho e isso é importante’, disse.

No próximo domingo, às 10 horas (de Brasília), a Seleção volta a enfrentar o Chile, desta vez no Ginásio Bolão, em Jundiaí. Com uma distensão na coxa esquerda, Érika está vetada novamente, mas não preocupa e deve retomar os treinamentos normalmente a partir de semana que vem.

‘Não é nada muito sério. Tenho tempo para me recuperar e acho que na segunda-feira já poderei estar na quadra com as minhas companheiras sem nenhum tipo de restrição. Vou treinar, recuperar o tempo perdido e pensar daqui para a frente’, declarou a jogadora.

A maior parte do grupo de 18 atletas pré-convocado para os Jogos Olímpicos de Londres-2012 se apresentou no dia 3 de maio. Após disputar a temporada europeia pelo Perfumarias Avenida-ESP, Érika ganhou um período maior de folga e se integrou aos trabalhos no último dia 14.

Sob o comando do técnico Ênio Vecchi, a pivô participou da conquista de uma vaga em Londres no Pré-olímpico-2011 e ainda ganhou o bronze nos Jogos Pan-americanos de Guadalajara-2011. Apesar do pouco tempo de trabalho com Tarallo, Érika já percebeu algumas diferenças.

‘Não muda muito, porque os dois são ótimos treinadores e nos deixam bem à vontade. O desejo de vitória é igual, mas o Tarallo é um pouco mais exigente que o Ênio. Eu acho que isso é importante. Temos que aproveitar e desfrutar do Tarallo como treinador’, declarou.

Continua após a publicidade
Publicidade