Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Pouco criativo, Uruguai avança com empate nada empolgante contra o Paraguai

Por Da Redação 20 jun 2015, 18h14

Ainda que tenha sido útil, o Uruguai deixou muito a desejar no empate em 1 a 1 com o Paraguai, na última rodada do grupo B da Copa América. A “Celeste” abusou da bola aérea, mas não conseguiu aproveitar as falhas defensivas da seleção adversária neste sábado (20). Em duas jogadas de escanteios, José Giménez abriu o placar e Lucas Barrios empatou para os paraguaios ainda no primeiro tempo.

A igualdade garante o Uruguai na próxima fase da Copa América como um dos melhores terceiros colocados. Com quatro pontos, assegura pelo menos uma campanha melhor que o Equador – o terceiro do grupo A -, e isto basta para estar nas quartas de final. O adversário da “Celeste” na próxima fase será o líder do próprio grupo B.

O Paraguai pode ser este rival caso a Argentina perca da Jamaica ainda neste sábado. Senão, espera a definição dos últimos classificados para saber quem será o líder do grupo C.

O jogo

Em confronto típico de Copa América, ambas as seleções se preocupavam primeiro em marcar forte em detrimento do jogo ofensivo. Tanto que o primeiro lance interessante da partida foi uma entrada dura de Abel Hernández em Paulo da Silva que rendeu cartão amarelo ao uruguaio logo aos três minutos.

Continua após a publicidade

O paraguaio Ortigoza recebeu advertência aos sete minutos, pouco antes da primeira oportunidade criada por sua seleção. Valdéz teve grande oportunidade em escanteio, mas cabeceou da pequena área para fora. Do outro lado o escanteio foi melhor aproveitado pela “Celeste”: José Giménez subiu entre os zagueiros rivais e testou firme para abrir o placar.

A vitória parcial garantia classificação do Uruguai às quartas de final, mas não diminuiu o ritmo do atual campeão da Copa América. Seguindo perigoso na bola aérea, ameaçou em cabeceio de Coates que obrigou Villar a fazer grande defesa aos 36.

A esta altura só dava “Celeste”, que dominava o duelo e era pouco incomodada no contra-ataque. Mas a máxima do ‘quem não faz, toma’ se fez presente quando Lucas Barrios aproveitou vacilo da zaga rival para empatar o jogo após escanteio.

A exemplo do primeiro tempo, o Uruguai seguiu tendo superioridade que não se traduzia em gols após o intervalo. Cavani apareceu em cruzamento da esquerda, mas mandou para fora aos oito minutos. Depois foi a vez de Stuani desperdiçar chance pelo alto, mas foi mesmo de Cavani a chance mais clara, aos 22. O atacante teve a bola limpa na segunda trave, mas não acertou o voleio como queria e viu Villar fazer a defesa.

Daí em diante a partida caiu em intensidade, mas ainda deu tempo para Stuani perder gol incrível após boa jogada de Cristian Rodríguez. O Paraguai respondeu assustando com Valdez em chute da entrada da área que, não fosse Muslera, sentenciaria virada.

Com Gazeta Press

Continua após a publicidade

Publicidade