Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Porto marca no fim, mas vê APOEL reagir e se complica na ‘Champions’

Com direito a um final de jogo eletrizante, o APOEL Nicosia mostrou que sua invencibilidade na Liga dos Campeões não é à toa. Dominante durante toda a partida, a equipe, que jogava dentro de casa, abriu o placar com um gol de Ailton, de pênalti, no primeiro tempo. Porém, levou o empate aos 44 da etapa final, de Hulk, também cobrando pênalti. No apagar das luzes, no entanto, Manduca deu a vitória ao time da casa.

Com o resultado, o APOEL chegou aos oito pontos, mantendo a liderança do grupo G com oito pontos, um à frente do Zenit. Já os portistas ficam com quatro, na terceira colocação.

Na próxima rodada, os cipriotas vão até São Petesburgo para encarar o próprio Zenit, enquanto os portugueses vão a Donetsk visitar o Shakhtar.

O Jogo – A qualidade do gramado do GSP Stadium foi um dos grandes obstáculos enfrentados pelo Porto no começo da partida. Mesmo superior em campo, os portugueses não conseguiam acertar o último passe e acabavam sendo desarmados com facilidade pelos zagueiros adversários. Além disso, os chutes dos jogadores do Dragão saíam muito tortos, não levando perigo ao goleiro Pardo.

Sem conseguir chegar com qualidade ao ataque, o Porto sofreu a primeira investida na partida aos 21 minutos do primeiro tempo. Após cruzamento da esquerda, Ailton se antecipou a Mangala e cabeceou com força, acertando a trave direita do goleiro Helton.

A investida dos cipriotas assustou o Dragão, que se perdeu ainda mais na partida. Errando muitos passes no meio-campo, o time dava espaço para o APOEL buscar o contra-ataque e criar boas chances de ataque.A sequência de erros portugueses inclusive culminou no gol do adversário, quando o atacante Ailton invadiu a área aos 41 minutos e foi derrubado por Mangala. Após ser amarelado, o defensor portista viu o centroavante brasileiro bater o pênalti no canto esquerdo, sem chances de defesa para Helton.

Na segunda etapa, os visitantes voltaram a não encontrar o seu melhor futebol. Mesmo com as entradas de Guarín e James Rodriguez, a parte ofensiva pouco conseguia ameaçar os donos da casa. O time foi avançando ainda mais quando Defour foi para o jogo, deixando o time com quatro atacantes.

Após muito tentar, os forasteiros conseguiram seu gol com Hulk, de pênalti, já aos 44 do segundo tempo. James Rodríguez invadiu a área e foi derrubado, penalidade convertida pelo brasileiro e que parecia dar ao Porto a redenção.

Um minuto depois, porém, os donos da casa mostraram que não estão para brincadeira nesta Champions. Manduca aproveitou cruzamento da direita e, em posição duvidosa, desviou para o fundo das redes, dando a vitória para a valente equipe cipriota.