Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Por recuperação, Cañete passará Natal no São Paulo

Por AE

São Paulo – Determinado a se recuperar o mais rápido possível da cirurgia no joelho direito a que foi submetido em novembro, o meia Cañete abriu mão de voltar para a Argentina no Natal. Ele ficará no centro de recuperação física e fisioterápica do clube e só retornará ao seu País para o feriado da virada do ano, visando abreviar o período previsto de seis a oito meses de afastamento dos gramados.

“Quero voltar a jogar antes do previsto, ficar bem e mostrar meu futebol aqui. Não vejo a hora. O torcedor pode estar certo que vou voltar bem”, afirmou Cañete, em entrevista ao site oficial do São Paulo.

Para acelerar o seu retorno, Cañete vem trabalhando em dois períodos, sem folgas, no CT da Barra Funda. E o atleta segue confiante de que no próximo ano deixará para trás com sucesso o decepcionante 2011 que viveu no clube. Contratado junto ao Boca Juniors, ele sofreu duas lesões musculares e depois rompeu os ligamentos do joelho direito em partida contra o Vasco, em São Januário. Com isso, acabou atuando por apenas alguns minutos pela equipe são-paulina até agora.

“O clube me motiva. O São Paulo me trata como um filho e isso me dá força. Sou muito agradecido por tudo. Por mais difícil que seja este momento, busco força todos os dias porque quero vencer aqui, conquistar títulos e retribuir tudo. Eu tenho certeza que meu futuro aqui vai ser muito bom”, enfatizou o meio-campista.

Cañete, porém, admite que a série de lesões sofridas o abalou. “Já vinha com outras lesões menores que não me deixavam ter sequência e isso me deixava triste. Quando rompi os ligamentos, pensei em muitas coisas, fiquei muito abatido mesmo. Mas são coisas de nossa profissão. Tenho que ser forte. Minha família deu todo o apoio e o clube também. Agora só penso em me recuperar”, completou.

O fisioterapeuta do São Paulo, Ricardo Sasaki, tem convivido diariamente com Cañete e afirmou que o jogador vem mostrando evolução em sua recuperação, embora lembre que o atleta atravesse um processo complicado de adaptação ao Brasil. “Está sendo muito difícil pra ele, especialmente por ser estrangeiro e ter se lesionado com pouco tempo de clube, ainda se adaptando ao País. Mesmo assim, desde o primeiro momento, ele confiou muito nos profissionais do clube, nas indicações que fizemos e orientações que passamos. Ele sabe que o sacrifício vale a pena e vem todos os dias muito motivado a passar uma nova etapa. Ele já está dobrando a perna num ângulo de quase cem graus”, ressaltou.