Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Por opção técnica, Juninho Pernambucano não enfrenta o Libertad

A delegação do Vasco viajou na manhã desta segunda-feira para Assunção, no Paraguai, onde na quarta-feira tem um importante compromisso diante do Libertad, no Estádio Nicolás Leoz, na capital paraguaia, pela terceira rodada do Grupo 5 da Copa Libertadores.

Causou bastante surpresa o fato de o meia Juninho Pernambucano não ter viajado com o elenco. Segundo informações do clube, a ausência do atleta já fazia parte do planejamento da comissão técnica, uma vez que o apoiador já é veterano e se desgastou muito durante a vitória por 3 a 0 sobre o Madureira, na tarde de domingo, pela Taça Rio. O Reizinho marcou inclusive o gol que abriu caminho para o triunfo.

Porém a ausência de Juninho Pernambucano, de certa maneira, remete ao episódio da semana passada, quando o meia Felipe reclamou abertamente da condição de reserva após a vitória por 3 a 2 sobre o Alianza Lima, do Peru, pela Copa Libertadores.

Desde que o Vasco foi derrotado pelo Nacional do Uruguai, por 2 a 1, na estreia no torneio continental, que o técnico Cristóvão Borges tem dado a entender que não vê com bons olhos Juninho Pernambucano, de 37 anos, e Felipe, de 34 anos, atuarem juntos por conta da idade avançada de ambos.

Se Juninho Pernambucano não viajou com a delegação, Cristóvão contará a sua disposição com o volante Rômulo, recuperado de estiramento muscular na coxa direita, e com o atacante Eder Luis, preservado das duas últimas partidas por conta de dores na coxa direita.

Com essa dúvida no ataque, a tendência é o Vasco ir a campo na quarta-feira com a seguinte escalação: Fernando Prass, Fagner, Dedé, Rodolfo e Thiago Feltri; Nilton, Eduardo Costa, Felipe e Diego Souza; Wilian Barbio (Eder Luis) e Alecsandro.

Nesta terça-feira, a comissão técnica esperava treinar no Estádio Nicolás Leoz, palco do jogo, porém a administração do estádio não permitirá alegando que não podem acontecer atividades com chuteiras na véspera de jogos. O fato irritou bastante os vascaínos, que comentaram o episódio na manhã desta segunda-feira, antes do embarque.

‘Infelizmente algumas vezes se criam situações fora de campo, quando todos deveriam estar preocupados com o que acontece dentro do gramado. Mas isso é uma via de mão dupla, pois o Libertad vem jogar aqui e o Vasco pode acabar tomando a mesma atitude’, disse o goleiro Fernando Prass.

Nas duas partidas que fez em casa nesta Copa Libertadores, diante de Nacional do Uruguai e de Alianza Lima, o Vasco permitiu que seus adversários fizessem treino de reconhecimento do gramado de São Januário.

Com três pontos conquistados no Grupo 5, o Cruzmaltino precisa de um triunfo para permanecer na zona de classificação para as oitavas de final do torneio continental. Porém a tarefa não se desenha das mais tranquilas, uma vez que o Libertad lidera a chave com seis pontos e cem por cento de aproveitamento.