Clique e assine a partir de 9,90/mês

Popó, de novo no ringue: ‘Lutar é como andar de bicicleta’

O ex-pugilista e deputado pelo PRB baiano explica por que só agora, cinco anos depois de sua aposentadoria, fará uma "luta de despedida"

Por Fabrício Lobel - 2 jun 2012, 08h59

Em entrevista a VEJA desta semana, Popó falou sobre o combate deste sábado à noite, contra Michael Oliveira:

Por que o senhor decidiu lutar mais uma vez? Eu tomei essa decisão por causa de meu filho Acelino Popó, o Popozinho. Ele tem 6 anos e nunca me viu competindo. Decidi fazer isso para ele.

O senhor não está meio fora de forma? Rapaz, eu não disputo uma luta oficial há cinco anos, mas estou bem. Já tenho 36 anos, mas peso só 72 quilos. Hoje, estou menos pesado do que quando competia profissionalmente. E saiba de uma coisa: lutar é como andar de bicicleta, quem sabe nunca esquece.

Mas é preciso treino… Pô, eu estou treinando desde agosto, eu tenho certeza de que vou vencer. Não posso fazer feio para o Popozinho.

Qual foi sua rotina de treinamento? Usava o horário do almoço da Câmara. Fazia uma corrida no parque e depois voltava para o plenário. Depois do expediente, eu ia direto para a academia. Aí, pegava no pesado.

Seu adversário, que só tem 22 anos, disse que não vai dar nenhum desconto para o senhor. Ele fala isso porque nunca encontrou um Popó pela frente. Quer aparecer, mas vai acabar é com a cara no chão.

Continua após a publicidade
Publicidade