Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Polícia faz operação de busca na Federação Francesa em ação contra Blatter

Agentes procuram provas do pagamento suspeito realizado pelo ex-presidente da Fifa a Michel Platini, em 2011

Policiais franceses apreenderam documentos em buscas realizadas na sede da Federação Francesa de Futebol (FFF), em Paris, nesta quarta-feira. A Justiça Suíça informou que a operação faz parte da investigação contra o ex-presidente da Fifa, Joseph Blatter, no caso envolvendo o pagamento suspeito de 2 milhões de francos suíços (7,6 milhões de reais pela cotação atual), feito pelo cartola suíço a Michel Platini, em 2011.

Blatter, que nesta quinta-feira completará 80 anos e foi indiciado em 24 de setembro por suspeita de gestão desleal e abuso de confiança, disse estar surpreso com as buscas na FFF. “Estou muito surpreso por uma única razão: o dinheiro que a Fifa pagou a Michel Platini em um contrato verbal não foi depositado na FFF nem na Uefa, e sim em uma conta particular de Platini, em um banco suíço”, afirmou.

Leia também:

‘Sempre serei o presidente da Fifa’, diz Joseph Blatter

‘Mausoléu de Blatter’, museu da Fifa é inaugurado

‘A Fifa me abandonou’, diz Joseph Blatter, afastado por suspeita de corrupção

No último dia 24, Blatter e Platini tiveram suas suspensões reduzidas de oito para seis anos, após o recurso de ambos os dirigentes ser julgado pela comissão de apelação da Fifa. Os dois foram suspensos de qualquer atividade ligada ao futebol.

Segundo o MP suíço, o país solicitou no dia 14 de novembro a cooperação dos franceses para investigar o caso. Parte da ajuda teve início nesta quarta, justamente com a operação na sede da Federação francesa.

A investigação foi iniciada em setembro de 2015, sob a suspeita de que os 2 milhões de francos suíços tenham sido enviados como forma de propina para Platini retirar sua candidatura às eleições presidenciais da Fifa em 2011. Blatter, seu antigo aliado, foi candidato único no pleito e conquistou seu quarto mandato.

Os dois cartolas insistem que o dinheiro se refere a um salário atrasado de Platini, que trabalhava na Fifa como conselheiro de Blatter até 2002. Mas, para a Justiça, o atraso de nove anos para a realização do pagamento e o fato de Platini ter passado a ser vice-presidente da Fifa o obrigariam a declarar os valores.

Na Suíça, Blatter ainda corre o risco de ser detido por suspeita de administração criminosa e apropriação indevida de recursos. Já Platini foi ouvido até agora apenas na condição de “parte envolvida”.

(com AFP e Estadão Conteúdo)