Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Poliana Okimoto fica com o bronze na maratona aquática

Brasileira, na verdade, chegou na quarta colocação, mas foi beneficiada pela desclassificação de atleta francesa. Ana Marcela Cunha é a 10ª

Quatro anos depois de viver um drama nos Jogos de Londres – abandonou a prova, com hipotermia, e saiu de cadeira de rodas – a brasileira Poliana Okimoto fez história nesta terça-feira.  A atleta de 33 anos conquistou a medalha de bronze na maratona aquática dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, vencida nesta segunda-feira pela holandesa Sharon van Rouwendall.

Leia também
O que ver hoje: Zanetti e Flávia Saraiva têm chance de medalhas

Plano russo para fraudar doping tem mais de 30 anos, diz jornal
Rio-2016 tem primeiros casos de doping com chinesa e búlgara

Okimoto, na verdade, terminou a prova em quarto lugar, mas ficou com o bronze por causa da desclassificação da francesa Aurelie Muller, que ficaria com a prata se não tivesse impedido a chegada da italiana Rachele Bruni, que brigou pelo segundo lugar com a adversária até a batida.

A delegação francesa terá agora meia hora para recorrer da decisão. Com o resultado, Poliana entra para a história da natação brasileira como primeira medalhista mulher em provas aquáticas.

Outra esperança de pódio para o Brasil na competição, Ana Marcela Cunha, bicampeã mundial em provas de 25 quilômetros, ficou apenas com a 10ª na disputa olímpica, que percorreu 10 quilômetros na Praia de Copacabana, um dos cartões portais do Rio de Janeiro.

Poliana-OKIMOTO-01

(Com agência EFE)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Essa REALMENTE ganhou a medalha: Foi dada pela estupidez da francesa.
    E tem “coragem” de comemorar! E tem trouxa (que nem sabe nadar) que comemora e quer que o país (QUE TRABALHA!) comemore as brincadeiras das “quianchas” também.

    Curtir

  2. Lamento as declarações de auto merecimento e choramingos da Poliana. Seu esforço e sacrifício, não foram suficiente para produzir um resultado sequer para inclui-la, entre os três primeiros colocados. Não ganhou a medalha por mérito ou por resultado de qualquer sacrifício mas sim, por sorte e em olimpíada só deveria valer medalhas por mérito.

    Curtir