Clique e assine com 88% de desconto

Plinio De Nes Filho renuncia à presidência da Chapecoense

Contestado pelos maus resultados e pela crise financeira do clube, Maninho, como é conhecido, deu lugar a Paulo Magro

Por Da redação - 1 nov 2019, 12h29

Plinio David De Nes Filho não é mais presidente da Chapecoense. Maninho, como é conhecido, estava afastado desde agosto e renunciou ao cargo na noite desta quinta-feira 31 em reunião do Conselho Deliberativo, em Chapecó. Paulo Magro, que era vice-presidente, assume o posto.

Maninho pediu afastamento alegando problemas de saúde. Ele deveria ter retornado ao posto nesta quinta, mas, contestado pela torcida e membros da diretoria pelos maus resultados e pelos problemas financeiros que o clube atravessa, optou por deixar o cargo.

Plinio David De Nes Filho, então presidente do Conselho Deliberativo, assumiu a cadeira presidencial pela primeira vez em dezembro de 2016, duas semanas depois do acidente aéreo que vitimou o mandatário Sandro Pallaoro e dezenas de funcionários e atletas do clube. Em 2018, Maninho foi reeleito com a chapa “Juntos Pela Chape”.

Atualmente, a Chapecoense está na 19ª colocação do Campeonato Brasileiro, 11 pontos atrás do Cruzeiro, primeiro time fora da zona de rebaixamento. O time comandado por Marquinhos Santos vai em busca da segunda vitória consecutiva para continuar sonhando com a permanência na elite. A partida contra o São Paulo está prevista para este sábado, às 21 horas (de Brasília), na Arena Condá.

Publicidade