Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Pistorius reaparece em audiência, mas julgamento é adiado

Juiz aceitou pedido da promotoria. Nova audiência só ocorre em 19 de agosto

Após um longo período de reclusão, o corredor sul-africano Oscar Pistorius reapareceu em público nesta terça-feira no Tribunal da Magistratura de Pretória, na África do Sul. A audiência, porém, durou apenas 10 minutos e a corte decidiu adiar a o início do julgamento para 19 de agosto. Pistorius é acusado do assassinato de sua namorada, a modelo Reeva Steenkamp.

Leia também:

Fotos mostram cena do crime; advogado reclama

“O senhor Pistorius tem o caso contra si adiado para dar mais tempo à investigação”, afirmou o juiz Daniel Thulare se dirigindo ao acusado. Assim, o magistrado aceitou o pedido de adiamento feito pela promotoria. Pistorius não aparecia diante do juiz há mais de três meses, depois de ter alcançado sua liberdade provisória sob pagamento de fiança.

A defesa do campeão paralímpico se mostrou de acordo com o pedido da promotoria, que evitou a dar mais detalhes sobre os motivos de sua solicitação. Além disso, o juiz declarou estar preocupado com o “julgamento” paralelo que a imprensa submete o acusado e pediu para imprensa “respeitar a constituição”.

Leia mais:

Oscar Pistorius não vai competir neste ano

Doping pode ter desencadeado ataque de fúria de Pistorius

África do Sul agora conhece o outro Pistorius: o vilão

O caso – O corpo de Reeva Steenkamp, de 29 anos, foi encontrado com várias marcas de tiros no último dia 14 de fevereiro na casa do atleta em Pretória, enquanto Pistorius confessou ter efetuado os disparos. O atleta assegurou ter disparado pensando que Reeva era um intruso que tinha invadido em sua casa.

A promotoria acusa Pistorius, de 26 anos, de assassinato premeditado, uma acusação que poderia lhe custar prisão perpétua. A justiça sul-africana concedeu liberdade provisória a Pistorius no último dia 22 de fevereiro sob pagamento de fiança.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

(Com agência EFE)