Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Pistorius: ‘Estava tentando proteger Reeva… Peço perdão’

Astro paralímpico chora ao falar sobre morte da namorada na corte em Pretória

Por Da Redação 7 abr 2014, 09h19

Pistorius disse que sofre com “pesadelos horríveis” desde a noite do crime. “Acordo durante a noite sentindo o cheiro do sangue”, afirmou, em um dos trechos mais tensos do depoimento

O campeão paralímpico sul-africano Oscar Pistorius, que está sendo julgado pelo assassinato da namorada, crime ocorrido em fevereiro de 2013, foi convocado para prestar depoimento nesta segunda-feira, num tribunal em Pretória. Ele começou seu testemunho se desculpando à família da vítima. Chorando, Pistorius disse: “Quero aproveitar esta oportunidade para pedir perdão ao senhor e à senhora Steenkamp”. O atleta passou a soluçar, o que levou a juíza a pedir que falasse com mais clareza. “Estava tentando proteger Reeva. Quero que as pessoas saibam que ela era amada quando foi para a cama naquela noite.” Pistorius admite ter sido o responsável pelos disparos que mataram a modelo, mas diz que foi tudo um trágico engano, já que ele pensava que havia um invasor no banheiro onde ela estava. Até agora, os depoimentos das testemunhas à corte foram bastante prejudiciais à tese dos advogados de defesa.

Leia também:

Defesa de Pistorius agora tenta mostrar relação carinhosa​

Mensagem da namorada de Pistorius: ‘Tenho medo de você’

Continua após a publicidade

Antes do crime, Pistorius havia encomendado seis armas

Corte mostra fotos de Pistorius ensanguentado após crime

Pistorius vomita durante a descrição da autópsia de Reeva

No tribunal, a mãe de Steenkamp, June, ao lado de outros parentes, permaneceu impassível. Pistorius revelou que pensou em mandar uma carta aos parentes da modelo. “Eu tentei colocar minhas palavras no papel, mas nunca haverá palavras suficientes para explicar o que sinto”, disse o velocista, primeiro atleta paralímpico a participar de uma edição dos Jogos Olímpicos. Esta foi a primeira vez que Pistorius falou em público desde a morte da namorada, em 14 de fevereiro de 2013. Ele disse que sofre com “pesadelos horríveis” desde então. “Acordo durante a noite sentindo o cheiro do sangue”, afirmou, em um dos trechos mais tensos do depoimento. Depois ele falou sobre sua vida, incluindo a dupla amputação sofrida ainda na infância. Ele lembrou também dos primeiros sucessos no esporte e da morte da mãe, quando tinha 15 anos. Pistorius contou que um acidente de barco o fez ficar com muito medo de morrer.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade