Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Pistorius é inocentado da acusação de crime premeditado

Juíza considera que atleta não teve a intenção de matar a namorada Reeva Steenkamp. Ele ainda pode ser condenado por homicídio culposo

Por Da Redação 11 set 2014, 09h58

O atleta paralímpico sul-africano Oscar Pistorius foi considerado inocente da acusação de assassinato premeditado de sua então namorada, Reeva Steenkamp, no início do ano passado. No julgamento desta quinta-feira, em Pretória, a juíza Thokozile Masipa rejeitou as acusações mais graves contra Pistorius e tratou o caso como homicídio culposo, quando não há a intenção de matar. “O Estado claramente não provou que o acusado é culpado de assassinato premeditado”, declarou a magistrada.

Leia também:

Julgamento de Pistorius é retomado; promotor diz que atleta mente

Oscar Pistorius vende casa para pagar advogados

Oscar Pistorius é expulso de boate após briga

“Observada em sua totalidade, a evidência não conseguiu demonstrar que o acusado tinha a intenção de matar a vítima, e muito menos com premeditação”, disse Masipa.”É evidente que ele não previu objetivamente esta possibilidade, que ele iria matar a pessoa que estava atrás da porta”, declarou ao rejeitar mais tarde a acusação de homicídio comum.

Leia também:

Pistorius tem tendências suicidas desde morte da namorada

Continua após a publicidade

Exames apontam que Pistorius não tinha desordem mental

‘Ele chorava muito, sofria’, diz testemunha do caso Pistorius

“Deduz-se que o acusado acreditava que sua vida estava em risco e, portanto, não pode ser considerado culpado de homicídio doloso”, finalizou a juíza. O atleta paralímpico de 27 anos, sentado no banco dos réus, se curvou e colocou a cabeça entre as mãos após o anúncio da juíza.

Pistorius ainda pode ser considerado culpado de homicídio culposo, o que poderia resultar em uma pena condicional, a um período longo na prisão ou ainda a absolvição. Uma condenação por morte premeditada significaria a prisão perpétua para o atleta, que matou Reeva com quatro tiros no dia 14 de fevereiro de 2013, dia dos namorados no país. Pistorius declarou diversas vezes ter disparado ao confundir a ex-namorada com um ladrão em sua casa, em Pretória.

(Com AFP)

Continua após a publicidade

Publicidade