Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Pelé se declara ao Santos: ‘Agradeço a Deus por me colocar aqui’

Reconhecido como o maior jogador de futebol de todos os tempos, Pelé é o personagem de maior destaque no livro ‘Santos FC – 100 anos de Futebol Arte’, do escritor e jornalista Odir Cunha. A obra, reconhecida pelo clube, foi lançada oficialmente nesta segunda-feira, em evento realizado no Salão de Mármore da Vila Belmiro. Ao lado do autor do livro, o Rei falou sobre a sua felicidade de ter sido protagonista de grande parte das maiores conquistas do Peixe, durante a sua história.

‘Para mim, realmente é uma alegria e uma responsabilidade muito grande estar aqui, representando todos os atletas que passaram pelo Santos. Não podemos esquecer de todos que passaram pelo clube. Fico feliz porque nestes 100 anos de existência do Santos, talvez eu tenha sido responsável por umas cinco gerações. Agradeço a Deus pela oportunidade de estar aqui (no clube) hoje, no centenário do Santos, e por ter me colocado aqui’, afirmou Pelé, arrancando aplausos entusiasmados dos torcedores santistas presentes a solenidade.

Destacando a rica história alvinegra, nas perguntas sobre o centenário do Santos, o Rei acredita que o clube deu uma importante contribuição ao futebol brasileiro, com títulos, excursões pelo exterior, além de ter cedido seus melhores atletas para a Seleção nacional na época.

‘Tive a felicidade de viver o momento mais glorioso do Santos e, provavelmente, de qualquer equipe brasileira na história. Hoje em dia, o cara fez um gol e daqui a pouco, com a internet, todo mundo sabe. No meu tempo, as pessoas sabiam pelo rádio ou pelo jornal, no dia seguinte. Mas fizemos uma grande história. Fomos bicampeões mundiais, dentre vários títulos, e até paramos uma guerra (em Angola), por exemplo. Enfim, o Brasil deve muito ao Santos’, ressaltou.

Entusiasmado, Pelé lembrou que, quando chegou a Vila Belmiro, o Peixe já possuía um time de grande qualidade. ‘O Santos tinha sido campeão (paulista) em 1955 e eu cheguei no ano seguinte ao clube. Aí quando eu estava no time de baixo, com 16 anos, me chamaram para jogar na Copa Rocca, contra a Argentina. O Brasil foi campeão e eu fiquei conhecido lá fora. Pouco depois, o Santos começou a excursionar. No exterior, o Santos apareceu depois de Pelé. Mas antes o Santos já tinha sido campeão, e agradeço por ter me acolhido. Nós só não fomos para a lua’, contou.

Durante o evento, o Rei ainda foi surpreendido por um ‘súdito’ especial. O ex-jogador Carlos Andrade dos Santos, o Carlinhos, que defendeu o América-SP durante os anos 60, e disputou uma partida contra o Santos de Pelé, no início de 1962. O confronto era válido pelo Campeonato Paulista daquele ano e a equipe alvinegra venceu, por 3 a 1.

‘O Santos venceu, por 3 a 1, com dois gols do Pelé. Ele jogou muito. Eu era meia e não consegui jogar nada naquele dia (risos)’, recordou Carlinhos, que guardou uma foto deste jogo e, depois de cinquenta anos, conseguiu o autógrafo de Pelé na relíquia.

Livro – O livro ‘Santos FC – 100 anos de Futebol Arte’ estará a venda nas livrarias de todo o país e poderá ser adquirido por R$ 129,90.