Clique e assine a partir de 9,90/mês

‘Pelé mudou de quarto para ter privacidade’, diz assessor

José Fornos afirma que o ex-jogador passa bem e que 'tudo segue normal'. Boletim médico citou 'instabilidade clínica' e mudança para uma 'unidade de cuidados especiais'

Por Da Redação - 27 nov 2014, 16h49

Pelé foi transferido no começo da tarde desta quinta-feira para uma unidade de cuidados especiais no Hospital Albert Einstein, onde está internado desde a última segunda-feira, em São Paulo. O assessor do ex-jogador, José Fornos, afirmou que a mudança ocorreu em respeito à privacidade de Pelé, que se recupera de uma infecção urinária. “Ele estava recebendo muitas visitas e isso não permitia que repousasse bem”, disse Fornos. Segundo ele, a família decidiu com os médicos que seria melhor Pelé ficar em um quarto “mais privativo”. O assessor reiterou que “tudo segue normal” em relação ao quadro clínico de Pelé.

Leia também:

Pelé é internado em São Paulo com infecção urinária

Ex-goleiro Edinho, filho de Pelé, é preso novamente

Continua após a publicidade

Pelé recebe alta e deixa hospital depois de cirurgia em SP

Com dor estomacal, Pelé cancela evento e é internado em São Paulo

Pelé completa 74 anos e recebe homenagens. CBF ignora

No boletim divulgado pelo hospital na tarde desta quinta, os médicos afirmaram que Pelé seguia internado com uma “instabilidade clínica”, sem entrar em detalhes. A assessoria do hospital informou também que o termo “unidade de cuidados especiais” não tem ligação com UTI, “unidade de terapia intensiva”. Na quarta-feira, José Fornos, conhecido como Pepito, havia feito uma previsão otimista sobre a recuperação de Pelé. “Ele está no hospital mais por precaução. Seria difícil tomar a medicação na veia em casa. Mas acredito que ele tenha alta médica em um ou dois dias”, afirmou o assessor na ocasião. No entanto, devido à instabilidade no quadro clínico de Pelé, os médicos ainda não estipularam uma data para liberação.

Continua após a publicidade

Pelé foi internado pela segunda vez desde o último dia 12. Na ocasião, o ex-jogador, com dores na região do estômago, cancelou uma sessão de autógrafos que seria promovida no Museu Pelé, em Santos. Internado, Pelé foi submetido a retirada de pedras no rim. No retorno ao hospital, que ocorreu no dia 24, a infecção urinária foi identificada em um exame de rotina. No total, quatro boletins médicos foram divulgados, sem previsão de alta. Na última quarta-feira, Pelé, que completou 74 anos no dia 23 de outubro, passou a ser medicado com antibióticos.

Publicidade