Clique e assine a partir de 9,90/mês

Pelé melhora e médicos retiram cateter da hemodiálise

Retorno ao tratamento de filtramento do sangue é descartado após resultados "adequados" dos exames. Ex-atleta se alimenta bem e segue fora da UTI

Por Da Redação - 4 Dec 2014, 10h03

Pelé segue apresentando boa recuperação clínica do quadro de infecção urinária que o mantém internado desde o dia 24 de novembro no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Na manhã desta quinta-feira, o ex-atleta passou por nova bateria de exames, que novamente descartaram a necessidade de retornar ao tratamento de hemodiálise (filtramento do sangue feito por aparelhos). De acordo com o boletim médico divulgado pelo hospital nesta manhã, os resultados dos exames de Pelé foram “adequados” e por isso os médicos decidiram retirar o cateter anteriormente utilizado nas sessões de hemodiálise e mantido em caso de necessidade de retorno do procedimento. Os médicos informaram ainda que novas avaliações renais acontecerão diariamente até a aguardada liberação de Pelé, que ainda não tem data prevista para acontecer. Ele permanece fora da UTI, sob cuidados semi-intensivos.

Segundo o boletim médico divulgado no fim da tarde de quarta-feira, Pelé tem passado a maior parte do tempo sentado na poltrona de seu quarto, onde recebe antibióticos por via endovenosa. O boletim anterior também informou que o ex-jogador de 74 anos segue “sem episódios de febre” e sua dieta está “com muito boa aceitação”.

Leia também:

Pelé melhora e segue sem hemodiálise e fora da UTI

Continua após a publicidade

Sem precisar de hemodiálise, Pelé deixa UTI e já caminha pelo quarto

Pelé retirou um dos rins quando jogava no Cosmos

Pelé mudou de quarto para ter privacidade, diz assessor

Com dor estomacal, Pelé cancela evento e é internado em São Paulo

Continua após a publicidade

Internado desde o dia 24 de novembro, Pelé foi ao hospital para uma consulta de rotina, pois havia sido submetido, duas semanas antes, a uma cirurgia para a retirada de cálculos renais. Os médicos detectaram uma infecção urinária e decidiram pela internação. O estado de saúde de Pelé piorou ao longo da semana passada, o que obrigou os médicos a transferi-lo para a UTI. Na última quinta-feira, dia mais crítico desde sua internação, ele apresentou quadro de “instabilidade clínica”, de acordo com boletim do hospital.

O ex-jogador precisou tomar antibióticos poderosos para controlar a infecção renal. Ele também recebeu medicamentos para controlar a pressão arterial, que havia caído de maneira preocupante. Na sexta-feira, já recebendo o tratamento de hemodiálise – que seria suspenso no domingo -, começou a apresentar melhora, o que vem ocorrendo, e Pelé deixou a UTI, passando para a semi-intensiva, na terça.

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade