Clique e assine a partir de 9,90/mês

Pela primeira vez, Ronaldinho Gaúcho fala em encerrar a carreira

Após trajetória errática nos últimos anos, com passagens ruins em vários clubes e sem jogar desde 2015, craque diz que ‘dia de parar chega para todo mundo’

Por Da Redação - Atualizado em 18 Feb 2017, 18h45 - Publicado em 18 Feb 2017, 18h33

Um dos maiores jogadores da história do futebol mundial, ídolo de grandes times como o Barcelona e o Paris Saint-Germain, campeão da Copa do Mundo de 2002 com a seleção brasileira, Ronaldinho Gaúcho anunciou que está prestes a colocar fim à carreira errática dos últimos anos, pendurando as chuteiras em um futuro próximo.

A revelação foi feita na noite de sexta-feira em Nova Orleans (EUA) durante o All-Star Weekend da NBA, o fim de semana das estrelas da liga norte-americana de basquete. Lá, admitiu que se vê mais próximo de parar definitivamente de jogar futebol que de um retorno às quatro linhas, uma vez que retomar a profissão já se tornou algo de difícil motivação.

“Ainda não é definitivo, mas dentro de pouco tempo vou tomar uma decisão. Vou fazer 37 anos no mês que vem, o dia de parar chega para todo mundo. Então agora é tomar um novo rumo. Recebi vários convites. Sei lá, ainda vamos sentar para programar, se vai ser um jogo de despedida em cada clube que joguei. Vai vir algo bacana para encerrar bonito”, prometeu. “Um dia eu vou sentir falta. Hoje, depois de tantos anos, a rotina que é mais difícil”, explicou.

É a primeira vez que Ronaldinho Gaúcho, sempre discreto com relação ao próprio futuro profissional, fala mais abertamente sobre a sua aposentadoria. No início deste ano, ele chegou a negociar com o Coritiba para disputar a temporada de 2017 pela equipe paranaense, mas acabou desistindo da ideia. Nesse meio tempo, ele assinou contrato com o Barcelona – onde atuou de 2003 a 2008 – para ser uma espécie de embaixador do clube catalão pelo mundo.

Continua após a publicidade

Ronaldinho não joga profissionalmente desde setembro de 2015, quando deixou o Fluminense. Por uma questão contratual, aina defendeu o clube carioca por um jogo em janeiro de 2016 na Florida Cup, em torneio de pré-temporada. Entre 2011 e 2015, passou por quatro clubes – no Querétaro, do México, jogou apenas 29 partidas. Chegou a fazer um jogo festivo pelo Barcelona de Guayaquil (Equador) em janeiro de 2016.

(Com Estadão Conteúdo)

 

Publicidade