Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Paulista afirma que Raposa é ofensiva mesmo com apenas um atacante

Por Da Redação - 27 maio 2012, 16h02

O avante Wellington Paulista, que atuou isolado no ataque do Cruzeiro na partida contra o Náutico, ainda busca adaptação à nova forma de atuar, mas destaca que, mesmo sendo o único homem de frente, a equipe tem conseguido criar oportunidades de gol. Para o jogador, o maior problema na partida contra o Timbu foi o gramado, e não o posicionamento.

‘Estou me adaptando a essa função, porque nunca joguei assim, sozinho. Sempre tive um atacante comigo lá na frente. O Wallyson entrou no segundo tempo e melhorou um pouco para mim, mas é ruim jogar nesse campo. O gramado com certeza prejudicou bastante’, disse.

O atacante cruzeirense ainda comentou sobre o poder ofensivo do Cruzeiro, que conta com a participação dos jogadores de meio-campo, que chegam ao ataque para ajudar na conclusão das jogadas. Wellington Paulista acredita que a participação de Tinga, Montillo e Souza vai ajudar a Raposa, já que ele consegue abrir espaços para estes atletas que apoiam o ataque.

‘Nessa nova função eu espero um cruzamento, uma bola enfiada para fazer o gol, mas o importante é movimentar, abrir os espaços para meus companheiros. Nosso time está crescendo. Jogamos muita bola contra o Náutico. Tem que dar os parabéns para o Cruzeiro, mas pena que não conseguimos vencer’, declarou.

Publicidade