Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Paulinho marca, Corinthians bate Vasco e volta à semi após 12 anos

Doze anos depois, mais de 35 mil pagantes viram no Pacaembu o Corinthians voltar a uma semifinal de Copa Libertadores – a até então única classificação para essa fase havia sido em 2000, ao eliminar o Atlético-MG e cair para o Palmeiras na sequência. Após 0 a 0 no jogo de ida, em São Januário, a equipe paulista derrotou o Vasco por 1 a 0, na noite desta quarta-feira, com gol de cabeça do volante Paulinho aos 42 minutos da etapa final.

O adversário da semifinal será conhecido somente nesta quinta-feira, já que o Fluminense caiu para o Boca Juniors, o que pode fazer o chaveamento ser alterado para evitar uma decisão argentina. Será o Santos se a equipe da Vila Belmiro eliminar o Vélez Sarsfield (Argentina). Caso contrário, o oponente será o vencedor do embate entre Universidad de Chile e o paraguaio Libertad.

A formação corintiana foi igual em relação ao jogo de ida. O atacante Liedson, que sem sequer viajou nos últimos compromissos como visitante, iniciou no banco – os meias Danilo e Alex e os atacantes Emerson e Jorge Henrique, portanto, foram mais uma vez o quarteto ofensivo titular. O Vasco também foi o mesmo do primeiro duelo.

A primeira diferença notória do confronto foi o estado do gramado, não encharcado e enlameado como o de São Januário, que na quarta-feira passada não suportou a forte chuva, no Rio de Janeiro, e prejudicou o futebol dos dois lados. Com o campo do Pacaembu seco, o time mandante explorou a velocidade para tentar abrir o placar logo no começo, a pedido revelado publicamente pelo técnico Tite.

Mas o Vasco segurou a blitz e foi saindo aos poucos de trás. Aos dez minutos, Juninho Pernambucano teve a primeira falta para bater, após Jorge Henrique derrubar Thiago Feltri perto do bico esquerdo da área. A cobrança foi no meio do gol, Cássio socou a bola no peito de Alecsandro e quase foi surpreendido quando ela voltou.

Oito minutos mais tarde, Emerson, que já havia infernizado a zaga pela ponta esquerda, ficou com a bola no meio da área após bobeada coletiva e, de frente para Fernando Prass, chutou à esquerda. Essa teria sido a melhor chance de gol do Corinthians na etapa inicial não fosse cabeceio de Paulinho defendido pelo goleiro vascaíno aos 31.

O jogo esquentou quando Eder Luis e Jorge Henrique se estranharam na beirada do campo, próximo ao banco de reservas em que Tite orientava seus jogadores. O vascaíno encarou o corintiano e caiu em campo em seguida, como se tivesse sido atingido no rosto por ele. Imediatamente os demais atletas se juntaram à troca de empurrões, a qual acabou com cartão amarelo para os dois causadores da discussão.

No retorno do intervalo, o Corinthians insistia em alçar a bola para a área, mesmo sem ter um centroavante de referência por lá. Paulinho então arrancou de trás e caiu à frente da área, pedindo falta. O lance seguiu, e Emerson recebeu cartão amarelo por derrubar Rodolfo diante de Tite. O treinador corintiano se irritou, reclamou acintosamente com o árbitro e foi expulso ainda aos dez minutos do segundo tempo.

Quando ele já se encontrava na numerada, o Vasco desperdiçou clara oportunidade de marcar aos 17 minutos. Último homem da defesa, Alessandro pegou sobra de falta e tentou levantar a bola novamente para a área, mas acertou em Diego Souza. Em poucos segundos, o vascaíno disparou do meio-campo até a área, sem nenhuma marcação à sua frente, e chutou no canto esquerdo baixo de Cássio, que esticou o braço e colocou a bola pela linha de fundo. Na cobrança de escanteio, Nilton cabeceou e carimbou o travessão.

Em vez de sentir o golpe, a torcida corintiana entendeu que estava com sorte e cantou mais alto. O time se contagiou e voltou a ter o domínio. Aos 31 minutos, a bola sobrou para Emerson pelo lado esquerdo da área, e ele acertou uma pancada na trave. Aos 37, Willian foi acionado na entrada da área, cortou o primeiro marcador para a esquerda e chutou fraco, nas mãos de Prass.

Os minutos finais do tempo regulamentar foram de aflição, mas de muita festa também. O Timão insistiu e chegou ao gol aos 42 minutos. O volante Paulinho subiu de cabeça após escanteio cobrado pela esquerda e mandou a bola para a rede, classificando o clube para a semifinal do torneio sul-americano pela segunda vez na história.