Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Patrocinadores ameaçam romper contrato com a Fifa

Visa é a mais taxativa e pede que entidade "recupere sua reputação". Parceiras são responsáveis por quase um terço do faturamento da Fifa

Por Da Redação 28 Maio 2015, 14h05

Depois da prisão de sete dirigentes ligados à entidade, outra tragédia pode abalar ainda mais as estruturas – e os cofres – da Fifa. Diante do escândalo de corrupção revelado pelo governo dos Estados Unidos, os principais patrocinadores da Fifa já começaram a pressionar a turma de Joseph Blatter. A Visa, uma das mais longevas parceiras da entidade, foi a mais clara: nesta quinta-feira, a empresa americana ameaçou romper contrato caso a Fifa não consiga “recuperar sua reputação”.

Leia também:

Joseph Blatter avisa: ‘Mais notícias ruins virão’

Uefa pede renúncia de Blatter e declara apoio a opositor

Pressionado, Blatter cancela participação em evento da Fifa

Continua após a publicidade

Blatter diz que Fifa iniciou as investigações

Fifa nega envolvimento e Blatter mantém eleição

A Visa cobrou uma mudança de postura da entidade para coibir novos casos de corrupção. “Começa com a reconstrução de uma cultura mais forte de práticas éticas com o objetivo de recuperar a reputação dos jogos para os fãs de todo o mundo. Se a Fifa falhar nesta meta, informamos aos seus dirigentes que vamos reavaliar nosso patrocínio”, informou a empresa.

Um dia antes, McDonald’s, Adidas e Budweiser, outras parceiras da Fifa, manifestaram suas preocupações, mas em tom mais ameno. O fim das parcerias poderia arruinar as finanças da Fifa, já que os acordos de patrocínio respondem por quase um terço do faturamento da entidade – dos 5,7 bilhões de dólares de lucros da empresa com a última Copa do Mundo, entre 2011 e 2014, os parceiros foram responsáveis por 1,6 bilhão de dólares.

(com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade