Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Patrocinadores ameaçam romper contrato com a Fifa

Visa é a mais taxativa e pede que entidade "recupere sua reputação". Parceiras são responsáveis por quase um terço do faturamento da Fifa

Depois da prisão de sete dirigentes ligados à entidade, outra tragédia pode abalar ainda mais as estruturas – e os cofres – da Fifa. Diante do escândalo de corrupção revelado pelo governo dos Estados Unidos, os principais patrocinadores da Fifa já começaram a pressionar a turma de Joseph Blatter. A Visa, uma das mais longevas parceiras da entidade, foi a mais clara: nesta quinta-feira, a empresa americana ameaçou romper contrato caso a Fifa não consiga “recuperar sua reputação”.

Leia também:

Joseph Blatter avisa: ‘Mais notícias ruins virão’

Uefa pede renúncia de Blatter e declara apoio a opositor

Pressionado, Blatter cancela participação em evento da Fifa

Blatter diz que Fifa iniciou as investigações

Fifa nega envolvimento e Blatter mantém eleição

A Visa cobrou uma mudança de postura da entidade para coibir novos casos de corrupção. “Começa com a reconstrução de uma cultura mais forte de práticas éticas com o objetivo de recuperar a reputação dos jogos para os fãs de todo o mundo. Se a Fifa falhar nesta meta, informamos aos seus dirigentes que vamos reavaliar nosso patrocínio”, informou a empresa.

Um dia antes, McDonald’s, Adidas e Budweiser, outras parceiras da Fifa, manifestaram suas preocupações, mas em tom mais ameno. O fim das parcerias poderia arruinar as finanças da Fifa, já que os acordos de patrocínio respondem por quase um terço do faturamento da entidade – dos 5,7 bilhões de dólares de lucros da empresa com a última Copa do Mundo, entre 2011 e 2014, os parceiros foram responsáveis por 1,6 bilhão de dólares.

(com Estadão Conteúdo)