Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Paralimpíada: Petrúcio Ferreira ganha ouro com melhor tempo da história

Porta-bandeira do Brasil em Tóquio, paraibano bateu o recorde paralímpico dos 100 metros com o tempo de 10s53, superando a sua própria marca de 10s57

Por Da Redação Atualizado em 27 ago 2021, 10h00 - Publicado em 27 ago 2021, 09h52

Porta-bandeira do Brasil na cerimônia de abertura das Paralimpíadas de Tóquio, Petrúcio Ferreira dos Santos fez história nas pistas nesta sexta-feira, 27. Ele conquistou a medalha de ouro nos 100 metros rasos, da classe T46/47 (para atletas com deficiências nos membros superiores) e bateu o recorde paralímpico com o tempo de 10s53, superando a sua própria marca, de 10s57.

Petrúcio ainda é o atual detentor do recorde mundial da prova, de 10s42. A conquista no estádio Olímpico de Tóquio eleva o corredor ao bicampeonato da prova. Em 2016, na Paralimpíada do Rio, ele conquistou o ouro nos 100 metros, além de duas pratas: nos 400 metros T47 e no revezamento 4×100 metros T42-47.

O brasileiro chegou à final credenciado pela liderança na bateria da classificatória, realizada mais cedo, o terceiro tempo geral, dando indícios claros de ter se poupado para a final. O mais veloz das eliminatórias foi o brasileiro Whashington Júnior.

Júnior, por sinal, terminou a prova com o bronze com o tempo de 10s68. A prata ficou com o polonês Michael Derus, com 10s61. A prova ainda contou com a presença de outro brasileiro, Lucas Lima, que terminou em sexto lugar.

O paraibano Petrúcio dedicou a vitória ao técnico Pedrinho Almeida, com quem trabalha desde 2014.

Continua após a publicidade
Publicidade