Clique e assine com 88% de desconto

Para Mourinho, Messi e Cristiano são ‘de outro planeta’

Português disse que é impossível escolher quem está jogando melhor hoje

Por Da Redação - 8 out 2012, 09h31

“Foi uma boa partida, na qual todos se divertiram, sem saber até o último minuto quem iria ganhar”, disse Mourinho

Depois de mais um show de Cristiano Ronaldo e Messi, no domingo, no clássico entre Real Madrid e Barcelona, o técnico da equipe da capital, o português José Mourinho, afirmou que é impossível responder quem é o melhor dos dois. “Penso que deveria ser proibido decidir quem é o melhor jogador do mundo, porque os dois são de outro planeta”, avaliou o português depois do 2 a 2 no Camp Nou. Apesar disso, o treinador afirmou que ficará na torcida pelo seu compatriota na eleição realizada pela Fifa no fim do ano. “Neste ano eu gostaria que ganhasse o Ronaldo, porque ele foi campeão da liga mais importante do mundo”, justificou.

Famoso pelas duras críticas ao arquirrival e por acusar o Barça de ser beneficiado pelos árbitros, o técnico do Real preferiu não comentar a arbitragem do domingo. Ele preferiu �exaltar a grande atuação das equipes. “Foi um grande jogo”, disse o português. “O resultado refletiu bem o que foi a partida. Gostei muito, porque foi um grande jogo. Prefiro que seja assim, porque é a verdade do duelo. Uma boa partida, na qual todos se divertiram, sem saber até o último minuto quem iria ganhar.” Para o técnico, o jogo deixou apenas uma preocupação: Cristiano Ronaldo sofreu um estiramento no ombro ao tentar uma bicicleta e pode ter de desfalcar a equipe.

Se Mourinho desta vez fugiu das polêmicas, o zagueiro Pepe, do Real, reclamou dos jogadores rivais, em especial Iniesta. O brasileiro naturalizado português diz que o espanhol tentou cavar um pênalti inexistente. “Ele me procura na área, se joga. Eles são assim, atores. A forma como se joga, lançando os braços, torna difícil o trabalho do árbitro”, disse Pepe. O zagueiro, porém, disse ter gostado da arbitragem e também do resultado, ainda que achasse a vitória fora de casa possível. “O futebol é assim. Saímos com a sensação que poderíamos ter os três pontos, mas foi bom.”

Publicidade

(Com agências EFE e Gazeta Press)

Publicidade