Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Para Marcel, Brasil amadureceu e derrubou ‘factóide’ Argentina

Por Da Redação 8 set 2011, 09h04

Na contramão do frenesi causado pela vitória da Seleção Brasileira de basquete sobre a Argentina (73 a 71) na quarta-feira, o ex-ala Marcel caracterizou os hermanos como adversários comuns. Além disso, o campeão pan-americano em Indianápolis-1987 enalteceu a maturidade do grupo nacional, que é um dos líderes da segunda fase do Pré-Olímpico de Mar del Plata.

De acordo com Marcel, a equipe do técnico Rubén Magnano evoluiu e não vem medindo esforços para obter a vaga nos Jogos Olímpicos de Londres-2012. A última participação verde-amarela no evento foi em Atlanta-1996.

‘O Brasil não perde mais para ele mesmo. Só perde se o adversário jogar melhor, como foi contra a República Dominicana. Para mim, desde os amistosos, os jogadores estão mais maduros e dispostos a qualquer sacrifício. Eles estão fazendo o impossível porque muitos estão tendo a última chance de jogar uma Olimpíada e isso reflete dentro de quadra’, argumentou.

Marcel se esquiva sobre presença de ‘desertores’ em Londres-2012

Após o ótimo triunfo sobre a Argentina, o ex-jogador Marcel vislumbrou a seleção completa, isto se a classificação para os Jogos londrinos for ratificada.

Continua após a publicidade

Porém, ele não quis revelar se é a favor ou contra a convocação de Nenê e Leandrinho, que pediram dispensa do Pré-Olímpico.

‘Eu tenho certeza que todos vão querer jogar. Olimpíada é diferente, isso mexe com os jogadores. É só olhar os norte-americanos. Agora, não sei se eles jogarão. Não sei qual será a política da CBB e do Magnano’, ponderou.

Um dos principais parceiros do ídolo Oscar Schmidt, Marcel fez questão de ressaltar também que o último resultado não se assemelha ao triunfo de 24 anos atrás, quando o Brasil derrotou os anfitriões norte-americanos e conquistou o título pan-americano. Segundo ele, os argentinos – campeões olímpicos em 2004 e vice no Mundial de 2002 – foram colocados em um falso pedestal.

‘Lógico que a Argentina tem um time bom. Mas o favoritismo deles foi construído através de factóides. Valorizaram muito eles, colocaram eles nas alturas. Ao mesmo tempo que ‘subvalorizaram’ o Brasil. Os brasileiros estão em um patamar igual ou até melhor que o deles’, afirmou.

Já garantido na semifinal, o Brasil – que fecha a 2fase contra Porto Rico – ainda não tem oponente definido. As chaves serão acertadas após a rodada desta quinta. Para Marcel, pode vir até a Argentina.

‘Nosso objetivo não é jogar contra a Argentina. É enfrentar Estados Unidos, Croácia, Alemanha… Se for (a semifinal) contra a Argentina, o problema será deles, pois eles viram que encontraram um rival à altura. Sendo que ainda estamos desfalcados, imagine só se estivessem todos lá’, concluiu.

Continua após a publicidade
Publicidade