Clique e assine a partir de 9,90/mês

Para Léo, vitória em ‘jogo especial’ pode credenciar Santos na disputa do título

Por Da Redação - 14 set 2011, 12h32

Ídolo da torcida do Santos, o experiente lateral esquerdo Léo sabe da importância acima da média que tem para os torcedores do clube uma vitória sobre o Corinthians. Por isso, o camisa 3 do Peixe quer o elenco santista bastante motivado para o clássico com o Timão, no próximo domingo, às 16 horas (horário de Brasília), no Pacaembu.

Léo acredita que um triunfo sobre o rival pode colocar o time da Vila Belmiro definitivamente na briga pelo título do Campeonato Brasileiro. O Alvinegro Praiano está 14 pontos atrás do líder Corinthians (43 a 29), só que tem dois jogos a menos em relação aos demais concorrentes.

‘O nosso pensamento é esse. Sabemos que vai ser um jogo difícil, até porque o Corinthians vem de uma derrota na última rodada (para o Fluminense, no Engenhão), e temos consciência da força do adversário. Mas se ganharmos estaremos de volta na briga. O nosso foco é esse: se vencermos começamos a sonhar com o título novamente’, afirmou o veterano lateral.

Para Léo, autor de um dos gols mais marcantes da história recente do Santos nos duelos com os corintianos – o do título brasileiro de 2002 -, a partida contra o Timão é especial e deve ser encarada desta forma por todos os jogadores.

Continua após a publicidade

‘Logo quando você começa a viver o ambiente no Santos já sabe que esse é um jogo especial. A responsabilidade diante do Corinthians é muito grande e estaremos concentrados para que dê tudo certo. A atenção tem que ser redobrada neste tipo de partida’, comentou.

Confiante numa vitória sobre o clube do Parque São Jorge, Léo acredita que, mesmo com o fim da competição distante, o clássico deve ganhar um caráter decisivo. Por isso, o experiente lateral santista espera um confronto com ânimos acirrados.

‘Sabemos que vai ser um jogo ‘quente’, com os dois times procurando a vitória. Por isso, temos que manter a calma e não entrar na ‘pilha’ deles. Vai ganhar a partida quem errar menos’, encerrou.

Publicidade