Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Palmeiras zera dívida com Paulo Nobre 7 anos antes do prazo

Ex-presidente emprestou quase R$ 200 milhões ao clube

O Palmeiras já não deve mais nada a seu ex-presidente Paulo Nobre. Na última semana, a diretoria alviverde quitou o último pagamento devido ao ex-dirigente, que emprestou quase 200 milhões de reais ao clube (considerando ativos repassados em direitos de atletas) durante seus dois mandatos.

O pagamento a Paulo Nobre foi realizado muito antes do que era esperado pelo próprio ex-mandatário, que previa um acerto em até dez anos. Em três, porém, a dívida foi paga (considerando que o ex-presidente ainda tem valores a receber pelos direitos econômicos de Tobio, Allione, Mouche e Róger Guedes, jogadores que ajudou a contratar).

O primeiro fundo para pagamento de Nobre foi aprovado ainda em 2014 e previa a quitação de 104 milhões de reais em dez anos por meio de depósitos de 10% da renda bruta mensal do clube. O repasse da quantia começou em maio de 2015, terminou na última sexta-feira, e foi entregue corrigido com juros (de valor inferior ao praticado no mercado).

Antes deste fundo, outro já havia sido quitado em 2017, no valor de 41 milhões de reais. Para esta quantia, o Palmeiras utilizou luvas recebidas do Esporte Interativo em contrato assinado para transmissão de partidas em TV fechada.

Desde que assumiu a presidência do Palmeiras, no final de 2016, Maurício Galiotte colocou como meta zerar todas as dívidas do clube. Apesar de quitar os débitos com Paulo Nobre, porém, uma mudança nos acertos dos jogadores contratados pela Crefisa criou uma dívida de 120 milhões de reais com a patrocinadora. O caso está sendo tratado pelo Conselho de Orientação e Fiscalização (COF).