Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Palmeiras x Corinthians: no duelo das arenas, deu empate

Coincidências marcaram estreias de Allianz Parque e Itaquerão – dois estádios belos mas inacabados, inaugurados com torcidas eufóricas e fiascos no campo

Por Luiz Felipe Castro 20 nov 2014, 15h52

Apesar da decepção inicial em campo, os inimigos podem se unir em pelo menos um sentimento – a convicção de que há motivos de sobra para ficarem otimistas

Desde o anúncio da reconstrução do velho Palestra Itália e do surgimento do Itaquerão, a centenária rivalidade entre Palmeiras e Corinthians ganhou mais um capítulo acirrado. Nos últimos anos, alviverdes e alvinegros travaram discussões acaloradas sobre suas novas e modernas arenas. Como se fossem verdadeiros especialistas, debateram e compararam localização, arquitetura, relevância internacional e origem do dinheiro que bancou as obras. Erguidos em lados opostos da capital paulista e muito diferentes na estética e no estilo, tanto o estádio de Itaquera como o da Barra Funda foram inaugurados em situações bastante semelhantes neste histórico ano de 2014. O mais curioso é que, pelo menos até agora, o dérbi das novas casas terminou empatado.

Leia também:

Sport estraga festa e vence na estreia da casa palmeirense Casa belíssima, time medonho: o drama dos palmeirenses

A coincidência que mais chama a atenção, claro, é esportiva: os arquirrivais frustraram suas torcidas com derrotas difíceis de digerir. Em 18 de maio, o Corinthians perdeu por 1 a 0 para o Figueirense, com gol de Giovanni Augusto, pela quinta rodada do Brasileirão, 24 dias antes da abertura da Copa do Mundo. Já o Palmeiras foi derrotado na quarta-feira pela Sport, por 2 a 0, com Ananias e Patric cravando seus nomes na história do Allianz Parque. Em maio como agora, a pressa para entregar as obras fez com que as duas arenas fossem entregues ainda longe do estágio ideal de acabamento. Apesar da decepção inicial em campo, os inimigos podem se unir em pelo menos um sentimento – a convicção de que há motivos de sobra para ficarem otimistas, já que ganharam belíssimas arenas que despejarão receitas importantíssimas nos cofres dos clubes no futuro. Talvez um dos dois saiba aproveitar a nova casa melhor que o outro. Por enquanto, tudo igual no placar: tanto nos trunfos como nos defeitos, as casas dos rivais paulistas tiveram noites de estreia parecidas.

Continua após a publicidade

Publicidade