Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Palmeiras vence Ponte e assume liderança do Paulistão

Por Demétrio Vecchioli

São Paulo – O Palmeiras não teve uma grande atuação na noite deste sábado no Pacaembu, mas fez o suficiente para vencer a Ponte Preta por 2 a 1 e assumir provisoriamente a primeira colocação do Campeonato Paulista, ultrapassando o Corinthians. O rival ainda joga por esta 14.ª rodada, neste domingo, contra o Comercial, em Ribeirão Preto, e se vencer reassume a ponta.

Depois de abrir 2 a 0 com gols de Juninho e Marcos Assunção (de falta), o Palmeiras permitiu que a Ponte Preta descontasse com Ferron. No fim do jogo, os visitantes pressionaram, chegaram diversas vezes à área alviverde, mas não conseguiram o empate.

O Palmeiras segue invicto no Campeonato Paulista e na temporada, chegando agora a 19 jogos oficiais sem perder. No estadual, até aqui, são nove vitórias e cinco empates, chegando aos 32 pontos, contra 30 do Corinthians. A Ponte está em sétimo, com 24.

O JOGO – O técnico Luiz Felipe Scolari surpreendeu na escalação. Depois de indicar que jogaria com dois atacantes (Ricardo Bueno substituiria o suspenso Maikon Leite), Felipão preferiu usar dois meias. Assim, Daniel Carvalho fez companhia a Valdivia e Barcos ficou sozinho na frente.

E com dois minutos de jogo a escolha já se mostrou acertada. Daniel Carvalho enfiou bola para Juninho, que recebeu em velocidade na área e deu um leve toque por cima de Lauro para abrir o placar.

Superior, o Palmeiras faria o segundo gol nove minutos depois. Marcos Assunção bateu falta de longe e surpreendeu o goleiro ao bater direto para o gol. Lauro, mal posicionado, não conseguiu voltar a tempo de impedir o gol por cobertura.

Marcos Assunção, depois, quase atrapalhou o time. Aos 16, ele saiu jogando errado, deu a bola para Renato Cajá, o meia chutou de longe e Deola teve trabalho para salvar. E foi inspirado no volante alviverde que a Ponte chegou ao seu gol. João Paulo bateu escanteio da direita, Ferron apareceu sozinho no meio da área e descontou de cabeça.

O segundo tempo não teve gols como o primeiro, mas foi tão agitado quanto. A Ponte Preta não se intimidou em ir para o ataque e buscar o empate e, da mesma forma que foi perigosa, também abriu espaço para o Palmeiras tentar ampliar.

As chances foram diversas, para os dois lados. Pelo Palmeiras, quem levava perigo era sempre Barcos, que tentou de tudo quanto é jeito, sempre assustando Lauro. A Ponte quase marcou num chute cruzado de Rodrigo Pimpão. Deola deu rebote, que caiu com Roger. O atacante chutou e Leandro Amaro salvou em cima da linha.

O Palmeiras volta a campo na quarta-feira, em Jundiaí, no jogo de volta da Copa do Brasil, contra o Coruripe-AL. Pelo Paulistão, a próxima partida é domingo, o clássico contra o Corinthians, no Pacaembu, com mando alvinegro. A Ponte tem a mesma sequência: quarta recebe Sapucaiense, do Rio Grande do Sul, pela Copa do Brasil, e sábado tem clássico contra o Guarani, no Moisés Lucarelli.

FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 2 X 1 PONTE PRETA

PALMEIRAS – Deola; Artur, Leandro Amaro, Adalberto Roman e Juninho; Márcio Araújo (Chico), Marcos Assunção, João Vitor, Valdivia (Maurício Ramos) e Daniel Carvalho (Tinga); Barcos. Técnico – Luiz Felipe Scolari.

PONTE PRETA – Lauro; Guilherme, Ferron, Diego Sacomán e Uendel; João Paulo, Gérson (Márcio Diogo), Agenor (William Magrão) e Renato Cajá; Enrico (Rodrigo Pimpão) e Roger. Técnico – Gilson Kleina.

GOLS – Juninho, aos 2, Marcos Assunção, aos 11, e Ferron, aos 37 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO – Flávio Rodrigues de Souza.

CARTÕRES AMARELOS – Artur, João Paulo e Agenor.

RENDA – R$ 579.772,00.

PÚBLICO – 19.152 pagantes

LOCAL – Estádio do Pacaembu, em São Paulo.